“Aprendi a acolher cada um com seus limites e dons” – Dom Amilton Manoel da Silva

Nesta sexta-feira, 8 de setembro, dia da Padroeira de Curitiba, acolheremos nossos novos bispos auxiliares.  Ontem contamos um pouco sobre Dom Francisco Cota de Oliveira. Hoje apresentamos Dom Amilton Manoel da Silva, cp.

8 de setembro de 2017 (sexta-feira), Dia de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais:
Celebração Eucarística de Acolhida dos novos bispos auxiliares da Arquidiocese de Curitiba
10h, na Catedral Metropolitana de Curitiba

 

Conheça Dom Amilton Manoel da Silva:

dsc_0834

Lema: “Gloriar-se na cruz de Cristo”

Brasão:

brasao-dom-amilton

Quem é Dom Amilton Manoel da Silva (por ele mesmo):

Nasci numa família cristã e muito católica. Sou o caçula de sete irmãos e com meus pais: Joaquim Manoel da Silva e Maria Velanuche da Silva (in memória), sobretudo com minha mãe, aprendi a rezar, a participar e a amar a Igreja, a ajudar as pessoas, a enxergar Deus presente no mundo… Desde pequeno senti o desejo de ser padre. Desejo este que foi alimentado pelo testemunho da minha família e dos missionários passionistas que trabalhavam e ainda trabalham na minha cidade natal (Osvaldo Cruz – SP).

Mas, o que contribuiu muito para a minha vocação e decisão, foi à missão que assumi, ainda aos 11 anos de idade, até os 26 anos. Período em que não pude trabalhar fora, pois me ocupei diretamente com meus pais enfermos, acamados e completamente dependentes de mim. Minha mãe faleceu em 1980 e meu pai em 1989. O Cristo-enfermo, presente em meus pais, despertou ainda mais em mim o desejo da consagração religiosa e sacerdotal, para servir o próximo.

No período da minha juventude, mesmo ocupado com meus pais enfermos, pude assumir alguns trabalhos pastorais na minha paróquia: catequese, grupo de jovens, liturgia e pastoral da saúde, e não descuidar de algumas coisas próprias dessa idade, como: encontro com os amigos, assistir um bom filme e apreciar uma boa música. Um ano antes de entrar para o seminário, trabalhei no Centro de Convivência de Idosos da sua cidade (CCI), foi uma experiência ímpar; um ano em que aprendi com os idosos que juventude é um estado de espírito, pois quem tem um porque viver consegue dar sentido à sua vida, mesmo com os limites da idade.

Quardo boas recordações do tempo de seminário, embora tenha sofrido para reiniciar os estudos acadêmicos, pois já tinha 27 anos de idade e estava 10 anos afastado dos bancos escolares. Entretanto, a graça de Deus foi maior e fui vencendo os desafios com fé, oração, ajuda dos formadores e determinação. Recordo-me com carinho das semanas missionárias em período de férias e de grandes missionários que conheci na minha formação inicial: Pe. Silvio Mazarotto, Pe. Rafael Busatto, Pe Lucas Arrigo Costa e outros… Homens apaixonados por Cristo, pela Igreja e pelo povo… Quantos contribuíram na minha formação.

Como sacerdote sempre busquei não descuidar da oração pessoal, da vida comunitária (uma vez que sou religioso) e da atenção com o povo, sobretudo com os jovens, enfermos e idosos. Como Superior Provincial, dos passionistas da Província do Calvário, aprendi a escutar mais, a dialogar mais, a acolher cada um com seus limites e dons; a ser cúmplice na missão.

O que aprecio na vida?

Me identifico com a arte. Faço desenhos desde criança (algo natural), já pintei muitas telas, fiz esculturas em tijolo celular, etc. Encenei várias peças teatrais com mensagens religiosas, quando participava do grupo de jovens e no seminário. Gosto de filmes com teor educativo, música clássica e sertaneja de raiz, arrisco tocar violão e já compus várias canções de cunho religioso, inspirado no carisma da cruz. Aprecio uma boa caminhada e leitura com temas de espiritualidade, como os livros do Henri Nouwen, os escritos de São Paulo da Cruz e de Santa Tereza D’Avila e temas que aprofundam a Sagrada escritura e a teologia da cruz.

Biografia:

Dom Amilton Manoel da Silva nasceu no dia 02 de março de 1963, em Osvaldo Cruz (SP), filho de Joaquim Manoel da Silva e Maria Velanuche da Silva. Foi batizado em 07 de abril de 1963, na Igreja Matriz de São José, pelo Pe. Jorge CP, e foi crismado no dia 12 de maio de 1963, pelo Pe. Lucas Arrigo Costa, CP – Superior Provincial, delegado de Dom Hugo Bressani, Bispo de Marília.

Fez a Primeira Eucaristia em 28 de novembro de 1971, na Igreja Matriz de São José, em Osvaldo Cruz. Entrou no Seminário Passionista São Gabriel, em Osasco (SP), em 01 de fevereiro de 1991. De 1992 a 1995 estudou Filosofia em Curitiba (PR), na Universidade Federal (UFPR) obtendo o bacharelado e licenciatura em Filosofia, História e Psicologia. Em seguida iniciou o Noviciado em 07 de janeiro de 1996, em Belo Horizonte (MG). Em 18 de janeiro de 1997 emitiu a Primeira Profissão, na Igreja Matriz de São José, em Osvaldo Cruz (SP); fez o curso de Teologia no ITESP (Instituto Teológico de São Paulo) do ano de 1997 a 2000.

Em 12 de fevereiro de 2000 fez a Profissão Perpétua, em Colombo, bairro Guaraituba, na Paróquia Santa Teresinha de Lisieux. Em 25 de março de 2000 recebeu em São Paulo o Acolitado e Leitorado. Foi ordenado Diácono em 13 de maio de 2000, na Paróquia Imaculada Conceição, em Osasco (SP) e, em 17 de dezembro de 2000, na Igreja Matriz de São José, em Osvaldo Cruz (SP), recebeu a Ordem do Presbiterado. O Bispo ordenante foi Dom Luciano Mendes de Almeida (in memória), Arcebispo de Mariana (MG).

Foi Diretor dos Seminaristas Postulantes Passionistas, de 2001 a 2003 e Vigário Paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Rosário, em Colombo (PR), em 2001 e de 2004 a 2007 e Vigário Paroquial da Paróquia Santa Teresinha de Lisieux, em Colombo (PR), em 2002, 2003 e 2005. Mestre dos noviços passionistas no ano de 2004 e de 2006 a 2012. Secretário da Conferência Latino Americana Passionista, de 2004 a 2007. Coordenador da Equipe de Espiritualidade da Província do Calvário e da Família Passionista do Brasil, de 2001 a 2011 e membro da Secretaria de formação do Conselho Geral dos passionistas, para a formação (2015 – 2017)

Colaborou na CRB Nacional com assessorias às Congregações religiosas: Assembleias, Capítulos Provinciais, formação permanente e exercícios espirituais; assessorou as etapas do Novinter e Juninter em várias regiões. Especializou-se em formação humana, espiritualidade e parapsicologia, por isso dedicou-se à formação de lideranças leigas trabalhando estes temas.

Foi vice-consultor provincial, de 2009 a 2011 e Superior Provincial da Província do Calvário, de 2012 a 2017. Membro da equipe de formação do Conselho Geral dos Passionistas, de 2014 até 2017. No ano de 2017 assumiu também a função de Pároco da Paróquia São Paulo da Cruz, em São Paulo (SP).

Curta Nosso Facebook
Comissões Pastorais

Boletim Informativo