8 de dezembro: Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora

imaculada-conceicao

 

Padre Adriano Olivério Monteiro Pinto – Arquidiocese de Curitiba

 

Em 8 de dezembro de 1854, o Papa Pio IX, na Bula “INEFFABILIS DEUS”, proclamou o seguinte dogma mariano: “É de Deus revelada a Doutrina que sustenta que a Virgem, Bem-Aventurada Maria, no primeiro instante de sua conceição, por singular Graça e privilégio do Deus Onipotente, em vistas dos méritos de Jesus Cristo, o Salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original, e dessa maneira deve ser crida por todos os fiéis”.

Maria nasceu Imaculada, o que quer dizer sem mácula, sem mancha, sem pecado, não tendo herdado o pecado de Adão, como todos os outros herdamos: “Ave (Maria), cheia de graça” (Lucas 1,28).

O dogma aponta para dois pontos importantes:

  1. a) a Virgem Santíssima foi preservada do pecado original (IMACULADA) desde o momento da sua concepção (CONCEIÇÃO);
  2. b) a Virgem Santíssima recebeu este privilégio em vista de ser a Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo, gerado em seu ventre.

Jesus jamais poderia ter nascido de uma mulher que “portasse” o Pecado Original. Caso contrário, Ele teria, como por herança, o pecado, o que seria um absurdo, pois Jesus Cristo é Deus e em Deus não há pecado.

Assim, pois, Maria é chamada com o título “Arca da Aliança”, pois ela contém a própria Lei, o Verbo Eterno. Como no Antigo Testamento, em que aquela Aliança era honrada e venerada, agora, no Novo testamento, Maria é Venerada e Honrada efusivamente: “Doravante todas as gerações me chamarão Bem-Aventurada” (Lucas 1, 48).

Que a Solenidade da “Imaculada Conceição” nos ajude a entender melhor o lugar da Mãe de Deus na História da Salvação e que possamos imitá-la na santidade de vida, acolhendo as palavras do apóstolo Paulo: “afim de serdes irrepreensíveis e inocentes, filhos de Deus íntegros no meio de uma sociedade depravada e maliciosa, onde brilhais como luzeiros no mundo” (Filipenses 2,15)

 

ORAÇÃO

Senhor nosso Deus, que, pela Imaculada Conceição da Virgem Maria, preparastes para o vosso Filho uma digna morada e, em atenção aos méritos futuros da morte de Cristo, a preservastes de toda a mancha, concedei-nos, por sua intercessão, a graça de chegarmos purificados junto de Vós. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amém!