Arquidiocese e TJ-PR se reúnem para expandir projeto de mediadores de conflitos nas paróquias

img_8261

 

Na tarde da última quinta-feira, 5 de abril, representantes da Arquidiocese de Curitiba e do Tribunal de Justiça do Paraná se reuniram na Cúria Metropolitana para deliberar estratégias de expansão do projeto Pacificar é Divino nas paróquias da Arquidiocese.

O Pacificar é Divino tem o objetivo de capacitar membros de diversas igrejas para atuarem como conciliadores ou mediadores em situações de conflito em suas comunidades. Dessa forma, eles podem ajudar na difusão da cultura do diálogo e da pacificação e evitar o ajuizamento de ações.

Na Arquidiocese de Curitiba, o projeto iniciou no segundo semestre de 2017. Atualmente, quatro paróquias participam do projeto e mantêm o “Espaço Pacificar”: São João Batista – Rebouças; Santíssimo Sacramento – Água Verde; Nossa Senhora da Luz – CIC; Nossa Senhora da Paz – Boqueirão.

Na reunião, foram discutidas estratégias para que mais paróquias possam capacitar seus líderes e participar desse projeto que tem relação direta com a Campanha da Fraternidade deste ano: “Fraternidade e Superação da Violência”.

Ao final da reunião, foi comunicada a abertura das inscrições de um novo curso para mediadores de conflito, que inicia no dia 5 de maio. Saiba mais e inscreva-se aqui.

Estiveram presentes na reunião o Arcebispo de Curitiba, Dom José Antônio Peruzzo, a desembargadora Dra. Lídia Maejima, 2ª Vice-Presidente do TJ-PR, o juiz auxiliar da 2ª Vice-Presidência do TJ-PR, Ricardo Henrique Jentzsch, equipe do TJ e os coordenadores do projeto na Arquidiocese, Diácono Flávio Binder e Dulce Binder.

Segundo o juiz, o TJ tem percebido que as partes envolvidas em algum conflito procuram o “Espaço Pacificar” para serem ouvidas, o que muitas vezes é suficiente para resolver o problema. “Ninguém gosta de estar em um fórum, as pessoas buscam a solução dos seus problemas naquilo que lhes dá mais conforto. E por que não aproveitar esse conforto que elas já possuem na comunidade religiosa para criar uma parceria e resolver esses conflitos?”, explica.

Para Dom Peruzzo, o aspecto divino da pacificação vem do caráter misericordioso e compassivo da personalidade de Deus. “Nada nos distancia tanto de nós mesmos quanto as inimizades. Por isso, em tudo o que se faz para pacificar, seja nos tribunais, nas igrejas, ou nas praças onde as pessoas se aproximam, Deus é contemplado”, declarou o Arcebispo.

 

Veja abaixo algumas fotos da reunião:

Flickr Album Gallery Powered By: Weblizar