Beatificação de Madre Clélia Merloni

Beatificação na basílica de San Juan de Letrán de Roma / ACI
Beatificação na basílica de San Juan de Letrán de Roma / ACI

Clélia Merloni, fundadora das Irmãs Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, foi beatificada em Roma no sábado, 3 de novembro, pelo cardeal Angelo Becciu. O Papa Francisco referiu-se à Madre Clélia Merloni no Angelus de domingo: “Uma mulher totalmente entregue à vontade de Deus, zelosa na caridade, paciente nas adversidades e heroica no perdão. Agradecemos a Deus pelo luminoso testemunho do Evangelho da nova Beata, e sigamos o seu exemplo de bondade e de misericórdia. Um aplauso à nova Beata….!”

Clélia Cleópatra Merloni nasceu em Forlì, na Itália, em 10 de março de 1861, vindo a falecer em Roma, em 21 de novembro de 1930. Seu corpo, exumado em 1945, foi encontrado incorrupto, e descansa na Capela da Casa Geral das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, em Roma. Em 30 de maio de 1894, Madre Clélia fundou o Instituto das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, colocando a serviço dos mais necessitados e marginalizados todo o seu potencial carismático, suas energias, seu zelo apostólico e a considerável herança deixada por seu pai. Na virada do século XIX para o século XX, enviou as primeiras Apóstolas Missionárias às Américas e ao Exterior.

O ideal de vida de Madre Clélia era a Santidade: “Quero ser santa”, dizia para cumprir plena e totalmente a vontade de Deus, junto com suas filhas religiosas. Neste seu percurso, teve que passar por tempos de purificação e enfrentar provações difíceis, como profundas humilhações, dores físicas, morais e espirituais. Porém, ela aceitou tudo com amor e por amor ao Sagrado Coração de Jesus, ao qual dedicara toda a sua vida.

A Congregação é bastante presente no Brasil e a atual Superiora é brasileira, a Irmã Miriam Cunha Sobrinha, eleita na manhã de 21 de julho de 2016. Em Curitiba, o Instituto das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus foi fundado em 1894. Atualmente, são 82 irmãs que exercem a missão em Curitiba, sendo que a comunidade das anciãs e enfermas participa da missão como Apóstolas adoradoras. Todas as demais atuam na direção de quatro Unidades Educacionais do SAGRADO – Rede de Educação. Também estão presentes no Hospital Pequeno Príncipe, no Centro de Assistência Social Divina Misericórdia e também atuam na catequese e em diversas outras pastorais e movimentos nas paróquias, como a Pastoral do Migrante.

Conheça a PJC- Pastoral Juvenil Cleliana

VOCÊ SABIA QUE A ARQUIDIOCESE DE CURITIBA CONTA COM UMA PASTORAL JUVENIL DEDICADA À BEATA CLÉLIA MERLONI?

pjc

Ser sinal do amor do Coração de Jesus foi o legado deixado por Clélia. A PJC participa desta missão. Desde que o Carisma de Madre Clélia nasceu na Igreja existiram jovens partilhando dele, mas com esta nomenclatura – PJC- tem sua origem em 2011 juntamente com o SAGRADO Rede de Educação.

Esta expressão juvenil vivencia o discipulado do Mestre, nos passos da Beata. A missão da PJC é tornar o Coração de Jesus conhecido e amado. Para que isso aconteça o adolescente ou jovem precisa ter o seu encontro com o Cristo, Vivo e Ressuscitado. Assim se dá a primeira dimensão da espiritualidade da PJC: reconhecer o amor de Jesus por nós e descobri-lo como amigo e companheiro no caminho.
A consequência do encontro é ser discípulo missionário!

Quem entrou no Coração de Jesus, sai com Ele para anunciar que segui-lo vale a pena. Seu amor dá sentido a nossa vida e nos ensina a amar nossos irmãos(ãs).

 

* fonte: vaticannews.va  e Revista Voz da Igreja Curitiba nov/2018