“Fraternidade e Políticas Públicas” foi tema de Audiência Pública na Assembleia Legislativa do Paraná

img_2211

A participação da população na vida pública de sua comunidade, cidade ou país e a busca por efetivação dos direitos essenciais à população mais vulnerável foram debates centrais na Audiência Pública realizada  na Assembleia Legislativa do Paraná noite da última quarta-feira, 13 de março. O evento abortou o tema “Políticas Públicas”, incentivado pela temática da Campanha da Fraternidade 2019.

A Campanha da Fraternidade 2019 foi lançada pela Igreja Católica na última quarta-feira de cinzas (6) e segue até o próximo ano, sendo a Quaresma o período mais intenso. A Audiência foi convocada – por proposição do deputado estadual Professor Lemos (PT) – como forma de promover maior interação entre a população e o Poder Legislativo do Paraná no tema da Campanha deste ano.

“As pessoas podem participar da vida política com outros mecanismos além do voto. Com esta discussão, queremos ajudar as pessoas a terem acesso aos serviços públicos de forma mais efetiva”, comentou Dom Francisco Cota, bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba.  Ele destacou durante sua fala o papel dos diferentes conselhos de defesa de direitos e dos mecanismos de democracia direta – audiências públicas, plebiscitos, referendos e projetos de leis de iniciativa popular – para a conquista dos direitos sociais e econômicos. E ressaltou o papel de todos em cobrar do Estado, inclusive do poder legislativo, o olhar sensível à população que mais sofre: “As pessoas valem mais que qualquer bem material e a prioridade do Estado devem ser as pessoas, não o mercado. Deve assegurar a atenção às necessidades dos mais vulneráveis”.

Participaram da mesa de debates, além de Dom Francisco:  João Santiago, coordenador da Campanha da Fraternidade de 2019 na Arquidiocese de Curitiba; Silvia Kreuz, criadora do grupo Mães de Amor Incondicional (MAMI); a vereadora de Curitiba Professora Josete (PT) e o procurador de Justiça Olympio de Sá Sotto Maior Neto, representando o Ministério Público do Paraná (MP-PR).