Curitiba contou com seminário sobre o tema da Campanha da Fraternidade 2020

“O chamado é claro a todos nós: ver, olhar com compaixão e cuidar das vidas fragilizadas”. Com uma linguagem direta e trazendo exemplos concretos, o bispo Dom Ricardo Hoepers conduziu em Curitiba, no dia 10 de fevereiro, uma palestra formativa sobre o tema da CF 2020.

img_2399

O evento foi promovido pela Arquidiocese de Curitiba, com a proposta de possibilitar à comunidade um momento de formação e engajamento prévio à Campanha, que se inicia no Brasil na quarta-feira de cinzas, 26 de fevereiro. Aproximadamente 400 pessoas estiveram presentes no auditório da TV Evangelizar para participar do seminário.

A abertura do encontro contou com comentários de Dom Francisco Cota, bispo auxiliar de Curitiba e referencial da Dimensão Social na Arquidiocese, que destacou a assertividade do tema da CF deste ano: “A proposta é provocar a transformação do olhar em relação às pessoas fragilizadas, do olhar de julgamento para o olhar de compaixão”. Ele também pediu a todos presentes a compreensão de que quem faz Campanha acontecer não é uma coordenação nacional ou local, e sim, todas as pastorais, movimentos, famílias e pessoas engajadas. “Queremos ver a Campanha se estender na vida de nossas comunidades (…) Não sejamos tímidos na nossa missão. Sem proselitismo, sem apenas discursar, precisamos nos envolver, envolver a comunidade e dar nosso testemunho”.

img_2454

Com o tema “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso” e o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34), a Campanha deste ano busca conscientizar, à luz da Palavra de Deus, para a defesa da vida como dom e compromisso, que se traduz em relações de mútuo cuidado entre as pessoas, na família, na comunidade, na sociedade e no planeta. A coordenadora local da CF na Arquidiocese de Curitiba, Salete Bez, mediou o encontro.

Dom Ricardo Hoepers, bispo da diocese de Rio Grande (RS) foi o convidado para a palestra explicativa por ter sido um dos colaboradores na construção do texto-base da CF 2020, como presidente da Comissão para a Família e Vida da CNBB.

No Seminário, o bispo apresentou a essência do texto-base da Campanha. Ele explicou sua proposta concreta, apontando que o tema dá o direcionamento para a defesa da vida, desde o nascimento até o seu fim natural, incluindo a ecologia integral, e o lema aponta com clareza que podemos direcionar nosso dom e compromisso para cuidar destas vidas.

O lema é extraído da parábola do Samaritano, quando todos desviavam de um homem ferido e caído e o Samaritano olha para aquela situação de modo diferente dos demais: movido pela compaixão aproxima-se do homem, gasta seu tempo, modifica sua rota, alivia a dor, oferece seu meio de transporte e se dispõe a pagar as despesas da hospedaria dele. Com inspiração na parábola, a Campanha propõe transformar nosso olhar ao se deparar com pessoas em condição de fragilidade, não apenas nas ruas, mas jovens em sofrimento, pessoas com depressão, idosos fragilizados, entre outros.

img_2445
“Ou seja, temos a proposta clara de ver, sentir compaixão e cuidar da vida, especialmente de toda a vida fragilizada. A escolha da Santa Dulce dos Pobres como ícone da Campanha da Fraternidade deste ano é o retrato que evidencia esta proposta. Ela estava lá cuidando dos mais frágeis, como o samaritano fez, como Jesus nos ensina”, explicou Dom Ricardo.

A pergunta que ele lançou como reflexão para todos foi: “Quando percebemos que as pessoas estão sendo abandonadas, como nós cristãos podemos fazer a diferença?” A mensagem que a Igreja transmite neste ano, segundo o bispo, é que não devemos ficar esperando a resposta vir dos outros. “Eu posso cuidar de quem está perto de mim, do idoso, do jovem, da natureza. Não existe um direcionamento de fragilidade específica, de vida específica a cuidar. Cada comunidade tem que olhar – e buscar de fato enxergar – qual é a fragilidade da vida que existe ali, para dar uma resposta concreta”. E motivou a todos: “Mesmo que não saiba como dar esta resposta concreta, tome a iniciativa. Esteja ao lado das pessoas fragilizadas, envolva mais gente, busque apoio na região, nas políticas públicas, mas não deixe de fazer algo”.

O Seminário foi gravado pela TV Evangelizar e será transmitido na sua programação nacional. Também será disponibilizado no canal de youtube da TV Evangelizar e no site da Arquidiocese de Curitiba.

A Campanha da Fraternidade terá sua abertura oficial no dia 26 de fevereiro, quarta-feira de cinzas, em todo o Brasil. Em Curitiba, a programação do dia incluirá o atendimento coletivo à imprensa pela manhã e abertura oficial na Missa das Cinzas, às 12h na Catedral Basílica de Curitiba.

 

Contatos da Campanha da Fraternidade na Arquidiocese de Curitiba:

campanhadafraternidade@mitradecuritiba.org.br  | 41 2105-6326  | whatsapp: 41 98740 1858

Curta Nosso Facebook
Comissões Pastorais

Boletim Informativo