COVID-19: Comunicado de orientações aos padres e fiéis da Arquidiocese de Curitiba

Comunicado aos Padres e Fiéis da Arquidiocese de Curitiba

Ante o Decreto 4230, exarado pelo senhor Governador do Estado do Paraná, publicado no dia 16 de março de 2020, que “dispõe sobre as medidas de enfrentamento da emergência de saúde pública…” decorrente do Coronavírus – COVID – 19, mas também nas sendas de autoridades médicas, bem como seguindo orientações da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e em comunhão com outras (Arqui)Dioceses, fica determinado também para a Arquidiocese de Curitiba, a partir da presente data, o que segue: 

 – As celebrações das Missas, Matrimônios, Batismos, e momentos devocionais (novenas, vigílias eucarísticas, etc.), não devem ultrapassar o número de cinquenta pessoas. A Comunhão Eucarística, restrinja-se a concedê-la na mão do comungante. Os padres estão autorizados a deliberar sobre os melhores meios para o cumprimento desta norma governamental. Aos idosos recomenda-se que participem pelos meios de comunicação (rádio, TV, internet…). Esta determinação foi reavaliada em 19/03. Confira aqui novo comunicado acerca deste item.

– Ficam suspensas até nova determinação os programas e atividades da Catequese. O mesmo vale para encontros de evangelização, outras atividades pastorais ou de promoções sociais patrocinados por paróquias e outras instituições eclesiais.

– Os Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística devem evitar a visitação às casas de idosos e/ou doentes. Porém os padres, ante solicitação, não deixem de levar e administrar a Unção dos Enfermos a qualquer doente grave. Todavia, tomem em apreço as mais cuidadosas cautelas.

– Também as celebrações do Sacramento da Reconciliação, que nos tempos de Quaresma se realizam em forma cooperada entre os padres (“mutirões”), devem seguir outro esquema. É mais prudente atender em horários estendidos e diversificados na própria paróquia.

– Aos “grupos de famílias”, que nos períodos de Quaresma se reúnem nas casas para se preparar para a Páscoa, recomenda-se que cada família o faça em sua própria casa. Mas não deixe de rezar. A humanidade precisa muito. 

– Promovam-se nas celebrações comunitárias possíveis, mas também, servindo-se de todos os meios de contatos entre as pessoas de sua comunidade, intensas campanhas de oração para que possa a família humana suplantar esta pandemia. Há testemunhos da história a atestar que as preces de um povo orante alcançam as bênçãos de um Deus providente.

– Sobre a Semana Santa aguarde-se a oportunidade de novas orientações.

Fazemos parte de uma sociedade cujos deveres de cidadania nos interpelam a escolhas e comportamentos coerentes com os valores do bem comum e da fraternidade inerente à fé que professamos. Além do mais estamos todos nós obrigados ao cumprimento das normas governamentais.  

 

Curitiba, 17 de março de 2020

(atualizado em 19 /03/2020)

Dom José A. Peruzzo

DomAmilton M. da Silva, CP

Dom Francisco C. de Oliveira

Confira aqui o comunicado em PDF.