Artigo: Reiniciar o Tempo Comum, num tempo incerto

Dom Amilton Manoel, cp, nos traz uma reflexão sobre a retomada do Tempo Comum do calendário litúrgico em meio a um período incomum. Confira a seguir:

REINICIAR O TEMPO COMUM, NUM TEMPO INCOMUM
2019-10-26_tempo-comum

Nesta semana, a Igreja no seu calendário litúrgico, voltará ao Tempo Comum. Quando vivenciamos as 8 primeiras semanas, o novo coronavírus era uma ameaça distante, um inimigo que seria derrotado no país onde surgiu (China), estávamos seguros; era uma “gripinha” do outro lado do mundo e não havia o que temer.

No entanto, não foi o que aconteceu! O vírus ganhou força, se alastrou pelo planeta e se fez gigante… O que era insignificante se tornou assombro e enredo dos noticiários e já dura mais de três meses… Fomos virados do avesso de um dia para o outro, obrigados a reinventar a vida, no extraordinário sombrio de um outono-inverno.

Como reiniciar o Tempo Comum, se o tempo é incomum? Sabiamente o Papa Francisco introduziu no calendário litúrgico, há 2 anos, a memória obrigatória da Mãe da Igreja, na segunda-feira, pós Pentecostes, diz ele: “Para lembrar que a vida cristã, para crescer, deve ser ancorada no mistério da Cruz, na Eucaristia e na Virgem Maria. Três mistérios que Deus deu ao mundo para estruturar, fecundar, santificar a nossa vida interior e para nos conduzir a Jesus Cristo”.

Assim reiniciaremos o “comum” em plena pandemia, tomados pelas mãos de Maria, a Mãe do Corpo Místico do Filho. Qual peregrina e discípula, ela caminhará conosco, como caminhou pelas ruas da Palestina com Jesus menino, educando-o; pelas aldeias e lugarejos, escutando-o; presenciando seus milagres, adorando-o; na montanha ou na planície, confirmando-o; na defesa dos mais pobres, servindo-o; no deserto ou no Getsêmani, em oração… Este foi o comum do Verbo encarnado, testemunhado pela Mãe, no incomum da rejeição da sua mensagem salvífica: o AMOR!

Reiniciemos o Tempo Comum! Jesus que também enfrentou tantas pandemias sanitárias, políticas, econômicas, culturais e religiosas, certamente nos ajudará a dar respostas de VIDA, a cada dia, nas anormalidades do tempo. Repletos de esperança, “deixemos de lado tudo o que nos atrapalha e corramos com perseverança, mantendo os olhos fixos em Jesus, autor e consumador da fé” (Hb 12,1b-2), até a celebração do seu reinado (Cristo Rei – 22/11).

Dom Amilton, CP

Curta Nosso Facebook
Comissões Pastorais

Boletim Informativo