Visita de São João Paulo II a Curitiba completa 40 anos. Confira relatos de Dom Pedro Fedalto

Nestes dias 5 e 6 de julho de 2020 completam-se 40 anos da visita do então papa João Paulo II à capital paranaense. O Papa polonês visitava o Brasil pela primeira vez em 1980, quando percorreu quase 15 mil quilômetros e conheceu 13 cidades em 13 dias. Curitiba esteve entre estas 13 cidades.

Aqui, no dia 5, percorreu as ruas de Curitiba até chegar ao Estádio Couto Pereira, local para onde falou para mais de 60 mil pessoas e viu apresentações artísticas, incluindo danças polonesas. No dia seguinte, 6 de julho de 1980, presidiu a Santa Missa no Centro Cívico de Curitiba, com grande público, estimado entre 700 mil e – em algumas fontes – até 1 milhão de pessoas (como cita o relato de Dom Pedro Fedalto abaixo).

Quem o acompanhou em toda a estadia foi Dom Pedro Fedalto, então arcebispo de Curitiba, hoje nosso arcebispo emérito.

Confira a seguir trechos de relatos de Dom Pedro Marchetti Fedalto sobre a visita de João Paulo II (extraídos do livro “Reminiscências: 90 anos de idade – 50 anos de Bispo”):

A notícia

São João Paulo II pelas ruas de Curitiba / Arquivo Arquidiocese de Curitiba
São João Paulo II pelas ruas de Curitiba / Arquivo Arquidiocese de Curitiba

(…) recebi uma carta do Núncio Apostólico, Dom Carmine Roco, para uma reunião dos Arcebispos que iriam receber o Papa. A reunião foi na Casa de Retiros e Encontros no Sumaré, da Arquidiocese do Rio de Janeiro. Foi lá que os arcebispos receberam a comunicação de que a Santa Sé tinha designado as Arquidioceses que receberiam a visita do Papa. Os participantes apresentaram suas propostas. Por falta de experiência, propus que o Papa chegasse de manhã e saísse à tarde.

Quero aqui contar o que me aconteceu no Sumaré. Inadvertidamente coloquei-me na sacada do quarto, com cadeira, livro da Liturgia das Horas e caderno do Diário. Em dado momento fechei a janela, que não abre por fora. Era meia-noite. Não quis incomodar ninguém. Passei a noite na cadeira oferecendo o sacrifício para o êxito da visita do Papa. As datas da visita estariam sujeitas a mudanças. Propus que a visita a Curitiba fosse a partir de Porto Alegre e não de São Paulo, porque se houvesse atraso, a distância a Salvador seria menor do que de Porto Alegre. A proposta foi aceita. Curitiba começou a preparar-se para a visita. Chegou a notícia de que o Papa queria encontrar-se com seus patrícios, os poloneses, à noite. A visita seria sábado à noite e domingo de manhã. Para a noite, o encontro com os poloneses seria na igreja de Santo Estanislau, paróquia pessoal da etnia polonesa. O pároco, com entusiasmo, tratou de preparar a igreja com vitrais de Santos poloneses e do próprio papa.

Poucos dias antes, Curitiba tinha recebido a visita do Mons. Paul Marcinkus. Quando esteve na igreja de Santo Estanislau achou que o Papa ficaria desiludido, porque comportava pouca gente na entrada e nem duas mil pessoas dentro da igreja. Imediatamente, foi proposto o estádio do Coritiba Foot Ball Club. A diretoria do clube ficou eufórica com a proposta.

Chegada do Papa a Curitiba

São João Paulo II e Dom Pedro Fedalto - chegada a Curitiba / Arquivo Arquidiocese de Curitiba
São João Paulo II e Dom Pedro Fedalto – chegada a Curitiba / Arquivo Arquidiocese de Curitiba

No sábado de manhã, 5 de julho, o céu estava nublado. À tarde saiu um sol tênue entre as nuvens. As autoridades eclesiásticas, civis e militares aguardavam a chegada do Papa, todos emocionados. No horário previsto, o Papa João Paulo II estava no aeroporto. Tive o privilégio de ser o primeiro a cumprimentá-lo, beijar-lhe o anel e pedir-lhe a bênção. O Papa, alegre, recebeu os cumprimentos de todas as autoridades. Muitos fiéis de São José dos Pinhais cumprimentavam o Papa. No saguão do aeroporto muitos passageiros saudavam o Papa e ele, comovido, retribuía com sorriso, amabilidade e afabilidade.

Do aeroporto até o estádio do Coritiba, a rua foi toda ornamentada com bandeirinhas e flores nas sacadas enfeitadas e muito povo aplaudindo entusiasmadamente o papa. (…)

Às 18h00 chegou ao estádio Couto Pereira, todo florido, por onde passava o Papa, que era ovacionado pelo povo, sobretudo os poloneses e seus descendentes. Era um verdadeiro delírio. O Papa recebeu o sal e a broa polonesa, beijando-a devotamente. De Tomás Coelho foi trazida uma casa típica dos imigrantes poloneses de cem anos atrás. O Papa entrou nela. Dom Ladislau Biernaski, Bispo Auxiliar e o Padre Benedykt Grzymkowski, Reitor da Comunidade Polonesa no Brasil, saudaram emocionados o Papa, agradecendo sua visita e manifestando todo afeto pela visita a Curitiba. Vieram depois cantos em polonês e danças típicas das regiões da Polônia. O Papa ficou radiante, oferecendo um quadro de Nossa Senhora de Czestokowska e terço aos cantores.

Em seguida, o Papa recolheu-se no Arcebispado, onde se hospedou.

(…)

A missa do Papa

São João Paulo II na chegada ao Centro Cívico / Arquivo Arquidiocese de Curitiba
São João Paulo II na chegada ao Centro Cívico / Arquivo Arquidiocese de Curitiba

A missa do Papa João Paulo II foi soleníssima, com muitos concelebrantes: o Cardeal Agostinho Casarolli, o Núncio Apostólico Dom Cármine Rocco, Arcebispos, Bispos (todos do Paraná, a maioria de Santa Catarina) de Posadas e Presidencia Saens Peña, da Argentina e de Encarnación, Paraguai. Numerosos sacerdotes, com a participação de um milhão de fiéis, segundo jornalistas. Da Catedral até o Centro Cívico, repleta a Praça Nossa Senhora de Salete, adjacências e toda a Avenida Barão do Cerro Azul. O coral foi maravilhoso com diversos grupos, também com o da Irmã Custódia Cardoso. A homilia do Papa foi muito longa. Por cinco vezes fui dizer-lhe o que a multidão cantava, um dos refrões era: fica conosco Santo Padre. O Papa respondeu: São Pedro escolheu Roma, mas hoje está em Curitiba. As orações dos fiéis foram em dez línguas. No Ofertório, foi muito demorada a entrega de dons ao Papa.

Terminada a missa, o Papa seguiu imediatamente ao aeroporto. Saiu às 13h, quando já devia estar em Salvador. Foi providencial minha intervenção na reunião do Rio de Janeiro, propondo São Paulo- Porto Alegre em lugar de São Paulo-Curitiba e Curitiba a Porto Alegre. Essa mudança para sábado e domingo favoreceu enormemente Curitiba. Se tivesse sido sexta e sábado a visita ficaria prejudicada, pois sexta-feira foi chuvosa.

(…)

Missa celebrada pelo Papa no Centro Cívico - reprodução web/Arquivo Rádio Construtiva
Missa celebrada pelo Papa no Centro Cívico – reprodução web/Arquivo Rádio Construtiva

(trechos extraídos do livro “Reminiscências: 90 anos de idade – 50 anos de Bispo” por Dom Pedro Marchetti Fedalto)

 

Curta Nosso Facebook
Comissões Pastorais

Boletim Informativo