Abrir o coração a Jesus: mensagem do Papa no Dia de Prevenção do Suicídio

“Hoje, no drama da pandemia, perante tantas certezas que se desmoronam, diante de tantas expectativas traídas, no sentido de abandono que nos aperta o coração, Jesus diz a cada um: “Coragem! Abre o coração ao meu amor. Sentirás a consolação de Deus que te sustenta”.

papa - reprodução Vatican News
Reprodução Vatican News

A citação acima foi a mensagem do Papa Francisco, via redes sociais, para o dia de hoje, 10 de setembro, Dia Mundial para a Prevenção do Suicídio. O Papa Francisco várias vezes manifestou sua preocupação com este fenômeno, sobretudo entre os jovens. Para o Pontífice, o principal motivo é a falta de perspectiva: “Não conseguem sentir-se úteis. Outros jovens não têm a coragem de enfrentar o suicídio, mas procuram uma alienação intermediária nas dependências, e hoje a dependência é uma fuga desta falta de dignidade”.

No Brasil, são registrados cerca de 12 mil casos todos os anos. Trata-se de uma triste realidade, principalmente entre os jovens. Cerca de 96,8% do total está relacionado a transtornos mentais. Em primeiro lugar, está a depressão, seguida do transtorno bipolar e do abuso de substâncias. Com esses números, o suicídio encontra-se entre as três principais causas de morte em indivíduos com idade entre 15 e 29 anos no mundo.

Programa em desenvolvimento na Arquidiocese de Curitiba

Com a proposta de proteger a vida, dom de Deus, através da prática do amor existe na Arquidiocese de Curitiba um programa denominado SobreViver. O objetivo de restabelecer a dignidade humana, dando uma resposta pastoral e missionária diante do sofrimento de tantos irmãos que estão perdendo o sentido pela vida.

“O grande desafio dos cristãos diante de uma sociedade inquieta, individualista e insegura é ter a sensibilidade de perceber o outro. Não podemos nos acostumar a olhar para o irmão em situação de sofrimento extremo e naturalizar esta condição de vida, passando por ele de forma indiferente.A sensibilidade é a base da misericórdia, ela é a força do Espírito Santo, que age em nós e nos move para a ação. Sem ela vamos nos distanciando dos verdadeiros sentimentos que nos torna uma só família em Cristo. Jesus nos convida a não endurecermos os nossos corações.” diz a coordenadora do programa, Mara Avelino, em artigo publicado no inicio de 2020. 

Este ano, por meio deste programa, foi colocada em prática uma escuta telefônica solidária em resposta ao isolamento social decorrente da pandemia, voltada para qualquer pessoa que tenha vontade de desabafar com um dos agentes pastorais participantes do programa.

Você não está só: Escuta Solidária

A Arquidiocese de Curitiba mantém desde abril deste ano a Escuta Solidária, um serviço de acolhimento por telefone às pessoas que durante este período de isolamento social sentem-se sós ou com vontade de desabafar com alguém. Basta ligar para o telefone (41) 3550-0003, das 6h às 22h30, para conversar. Do outro lado da linha estará um voluntário que já atuava em serviços pastorais de acolhida nas paróquias para ouvir e dar conforto.

 (41) 3550-0003 – 6h às 22h30, todos os dias

*Com informações de VaticanNews

Curta Nosso Facebook
Comissões Pastorais

Boletim Informativo