Francisco no dia 2 de novembro em oração no cemitério Teutônico

A celebração em sufrágio dos cardeais e bispos que morreram no decorrer do último ano será transmitida ao vivo, com comentários em português, a partir das 11h locais (07h em Brasília). Já o momento de oração do cemitério Teutônico será privado.

No ano passado, o Papa presidiu à missa de Finados no Cemitério Militar Francês de Roma. Já em 2020, a celebração eucarística foi na igreja do Pontifício Colégio Teutônico de Santa Maria, nas adjacências do cemitério. Logo depois, o Pontífice foi rezar diante dos túmulos de seus predecessores na cripta vaticana.

As primeiras referências ao Cemitério Teutônico remetem ao século XIV.

O Campo Santo dos Teutônicos ou dos Flamengos (Friedhof der Deutschen und der Flamen em alemão, ou Begraafplaats van de Teutoonen en Vlamingen em holandês) foi construído sobre a área onde estava o Circo de Nero, na região localizada agora entre a Basílica de São Pedro e a Sala Paulo VI.

Dada a sua localização particular – dentro do Estado da Cidade do Vaticano – o cemitério recebe milhares de pedidos para sepultamento todos os anos.

Mas de acordo com os estatutos da fundação, estes devem obedecer cânones bem precisos: ser membro da arquiconfraria responsável pelo cemitério, ser religioso de origem alemã e membro de Colégios teutônicos de Roma.

Mas há exceções. Em fevereiro de 2015, por desejo do Papa Francisco, foi sepultado “Willy” – como era conhecido – o indigente que vagava pelas ruas nos arredores do Vaticano.

__

Por

Bianca Fraccalvieri – Vatican News