Jovens de Curitiba participam de peregrinação vocacional em Foz do Iguaçu

No dia 13 de julho, o Santuário São Francisco de Assis, em Curitiba (PR), acolheu cerca de 350 jovens do Caminho Neocatecumenal para a missa de envio da peregrinação vocacional rumo a Foz do Iguaçu. A celebração eucarística foi presidida pelo pároco e reitor do santuário Padre Osni dos Anjos e concelebrada pelos padres Carlos Neri, Dilsomar Bombazar, César Vagetti e Gilberto, que também acompanharam os jovens neste encontro.

Crédito: Guilherme Buranelo
Crédito: Guilherme Buranelo

A peregrinação e as raízes da evangelização no Brasil

O grupo seguiu em direção ao Rio Grande do Sul – município de Santo Ângelo – para conhecer a Catedral Angelopolitana, construída em estilo barroco, por volta de 1929, em homenagem ao Santo Anjo da Guarda. Ali tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o início da evangelização no Brasil, através da palestra com o pesquisador José Roberto de Oliveira e fizeram o “anúncio na praça”, com danças e músicas.

Crédito: Amanda Buranelo
Crédito: Amanda Buranelo

O próximo destino foi o convento das Irmãs Carmelitas, uma oportunidade para as meninas conhecê-las, além de cantar e rezar com elas. O momento foi marcado pela emoção, troca de experiências e pedidos de intercessão através da oração.

Ruínas de São Miguel das Missões
Visita às ruínas das missões jesuíticas de São Miguel das Missões (RS). Crédito: Guilherme Buranelo

Durante todo o percurso, os jovens puderam compreender o significado das missões dos jesuítas no Brasil a partir de 1500. Foi nesse período em que se formaram as “reduções jesuíticas”, verdadeiras comunidades com dois jesuítas e indígenas que viviam e trabalhavam juntos colhendo os frutos da terra e aprendendo a pastorear o rebanho. Foram estas missões que abriram o caminho para que os povos nativos do Brasil também pudessem conhecer Jesus Cristo.

Neste contexto, a peregrinação confirmou aos jovens que todos foram chamados a dar continuidade a esta obra de evangelização, seja onde ou em qualquer condição que Deus os colocar. Pois assim como as “reduções jesuíticas” formavam comunidades, também a comunidade em que cada jovem encontra-se inserido é onde são preservados dos enganos que os afastam de Deus e onde são formados como cristãos.

A última parada foi em Foz do Iguaçu, onde os jovens visitaram as Cataratas do Iguaçu e a Usina Hidrelétrica de Itaipu, sempre louvando ao senhor pelas maravilhas que Ele fez através das mãos do homem e da natureza.

 

O Encontro Vocacional

Por ser uma região que remete às raízes da evangelização do Brasil, a cidade de Foz do Iguaçu sediou o Encontro Vocacional do Caminho Neocatecumenal no dia 17 de julho. O evento aconteceu no Centro de Convenções de Foz do Iguaçu e reuniu 5.500 jovens dos estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e das regiões Sul e Sudeste do país. Dentre eles, 350 jovens pertenciam a Arquidiocese de Curitiba. Jovens Paraguai e da Argentina também participaram.

O encontro foi ministrado por Dom Sérgio de Deus Borges, bispo da diocese de Foz do Iguaçu. Também estavam presentes Dom Benedito Gonçalves, bispo da diocese de Presidente Prudente (SP) e Dom Ângelo Pignoli, bispo emérito de Quixadá (CE).

A condução do evento ficou sob a responsabilidade da equipe responsável pelo Caminho Neocatecumenal no Brasil, formada por Padre José Folqué e Raúl Viana, que deram aos jovens uma palavra de ânimo e encorajamento para a caminhada de fé e discernimento vocacional. “Em todos nós, Deus colocou uma vocação que tem que ser descoberta aos poucos, com sinais. Não são ideias ou sentimentos, mas a vocação é de Deus e se manifesta nos acontecimentos da nossa história, e todos estamos chamados a fazer a vontade de nossa Pai”, exortou Raúl Viana.

Após a catequese baseada na história de José do Egito (Gn 37-47), que é uma palavra profética sobre a vocação a qual Deus chama cada um, Padre José Folqué anunciou o querigma aos jovens, isto é, o anúncio da Boa Notícia que é Jesus Cristo morto e ressuscitado por amor e pela salvação dos homens: “A abundância do amor de Deus está em vocês, que é o Espírito Santo que lhe deu a Igreja; e o Espírito Santo é para amar”.

No entanto, assim como o demônio enganou Adão e Eva, engana também os homens, colocando neles a dúvida sobre o amor de Deus e “Se Deus não me ama, Deus não existe”, continuou o presbítero, “e se Deus não o ama, Deus não o fez, então surgem as perguntas: ‘Quem sou eu? Para quem vivo?’ Assim, tenho que viver somente para mim. Aquele que vive para si vive o contrário do projeto Divino: Cristo morreu para destruir a morte que habita em mim e me dar a liberdade de amar como Ele amou, esta é a verdade. Amar o outro como ele é. Disse Cristo: ‘Amai-vos como eu vos amei’. Ele nos amou até o extremo, dando a vida por nós, morrendo por nós. Isso é o amor. Esse é o projeto de Deus para a minha vida. A partir de Cristo posso me doar, e me doar é a felicidade”.

Crédito: Guiarone Macedo Teixeira
Raúl Viana, um dos responsáveis pelo Caminho Neocatecumenal do Brasil, em momento de catequese aos peregrinos. Crédito: Guiarone Macedo Teixeira

Em seguida, foi lido o Evangelho de São Lucas que narra a multiplicação dos pães, e Dom Sérgio de Deus Borges fez a homilia, em que convidou os jovens a colocarem sua esperança em Jesus Cristo, pois assim não serão decepcionados e poderão ver milagres: “Diz a Palavra que o Senhor Jesus estava pregando e, olhando para aquela multidão, vê uma multidão que estava cansada. Nosso povo também pode estar cansado, uma multidão fatigada, cansada muitas vezes por deixar-se levar por tantas propostas de vida, tantas ideologias que parecem que preenchem o coração, mas no fundo não são capazes de acalentar a nossa vida, o nosso coração”.

O ápice do encontro foi o encerramento, com a chamada vocacional em que 50 rapazes e 50 moças responderam “sim” para o chamado à vida presbiteral, religiosa e celibatária missionária, colocando-se disponíveis para partir em missão aonde a Igreja os enviar. Este “sim” foi também uma resposta à pregação que haviam escutado sobre o amor de Cristo e sua vitória sobre os pecados e a morte. Da Arquidiocese de Curitiba, seis moças e três rapazes sentiram-se chamados e colocaram-se a disposição para servir o Senhor.

Diante de muita emoção e como sinal deste “sim”, os que se sentiram chamados levantaram-se e foram ao encontro dos Bispos presentes para receber a bênção.

 

O Caminho Neocatecumenal

Crédito: Guiarone Macedo Teixeira
Crédito: Guiarone Macedo Teixeira

O Caminho Neocatecumenal é um itinerário de iniciação cristã que se realiza nas paróquias, em pequenas comunidades constituídas por pessoas de diversas idades e condição social que, gradualmente, vão sendo levados à intimidade com Jesus Cristo, tornando-se sujeitos ativos na Igreja e testemunhas da Boa Nova do Salvador.

Nasceu na década de 1960, em Madri, Espanha, com Kiko Argüello e Carmen Hernández, e se estendeu pelo mundo todo, estando presente em 134 nações dos cinco continentes. No Brasil, encontra-se em 100 dioceses, com mais de 1800 comunidades.

Na Arquidiocese de Curitiba, o Caminho Neocatecumenal chegou em 1979, tendo atualmente 24 comunidades e está presente em três paróquias de Curitiba (Santuário São Francisco de Assis, São João Batista Precursor e Nossa Senhora de Fátima) e em uma de Pinhais (Nossa Senhora da Saúde).

 

:: Confira AQUI as fotos da peregrinação vocacional em Foz do Iguaçu.

__

Por 

Amanda Cardoso Buranelo | Comunicação da Arquidiocese de Curitiba

Com informações da Assessoria de Comunicação do Caminho Neocatecumenal no Brasil

Curta Nosso Facebook
Comissões Pastorais

Boletim Informativo