Nota de solidariedade dos Bispos do Paraná ao povo ucraniano

Os bispos do Paraná escreveram uma nota de solidariedade dirigida ao povo ucraniano e aos católicos ucranianos brasileiros. No Paraná está a sede da Metropolia Católica Ucraniana São João Batista, em Curitiba (PR), e da Eparquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, em Prudentópolis (PR) e os bispos dessas duas Igrejas particulares integram o episcopado paranaense.

Confira a nota:

Nós, bispos do Paraná, expressamos nossa solidariedade e profunda dor ao povo e a nação ucraniana, diante do cenário dessa guerra insana que se instaurou no país desde ontem, 24 de fevereiro. Expressamos nossa proximidade nas orações com o Arcebispo da Metropolia Católica Ucraniana São João Batista, Dom Volodemer Koubetch, com o Bispo da Eparquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, Dom Meron Mazur, e com todos os católicos e descendentes de ucranianos que vivem no Brasil, especialmente aqui no Paraná.  

As consequências nefastas da guerra chocam, afligem e preocupam a todas as pessoas de boa vontade. Sabemos que para aqueles que nasceram no Brasil, mas que tem sangue ucraniano, essa aflição é ainda maior. Em nosso estado está a maior comunidade ucraniana do país. Na cidade de Prudentópolis (PR), 75% dos habitantes são descendentes ucranianos. Sendo assim, essa dor é ainda mais da nossa Igreja.  

Como bispos católicos, nos unimos ao apelo feito pelo Papa Francisco, em “combater a diabólica insensatez da violência com as armas de Deus: a oração e o jejum”. Pedimos aos católicos paranaenses que acolham o convite feito pelo Papa Francisco para, no próximo dia 2 de março, Quarta-feira de Cinzas, dedicarem-se intensamente à oração e ao jejum.  

O Deus em quem acreditamos é o Deus da paz, que não compactua com nenhum tipo de violência. Essa guerra fere o Direito Internacional, os direitos humanos e traz o risco de se desdobrar num conflito militar mundial. Pedimos a Deus que ilumine a Federação Russa, a fim de que compreenda as trágicas consequências dessa guerra e abaixem as armas. Pedimos também que os líderes mundiais busquem uma solução pacífica, por meio do diálogo, a fim de que a vida e a dignidade humana sejam preservadas.  

Confiantes na força da oração, rogamos sobre o mundo, especialmente sobre a nação ucraniana, a bênção e a paz de Deus.  

Dom Geremias Steinmetz
Arcebispo de Londrina e Presidente da CNBB Sul 2

Dom José Antonio Peruzzo
Arcebispo de Curitiba e Vice-Presidente da CNBB Sul 2

Dom Amilton Manoel da Silva
Bispo de Guarapuava e Secretário da CNBB Sul 2

Padre Valdecir Badzinski
Secretário Executivo da CNBB Sul 2

(FONTE: cnbbs2.org.br)