Reflexão Domingo do Bom Pastor- Ano C

formacao_bom-pastor

 

Nas catacumbas de São Calixto em Roma, chama a atenção a imagem de um homem que traz nos ombros uma ovelha. Segundo a tradição, esta representação antiga de um pastor, no contexto do cristianismo primitivo era a imagem de Jesus Cristo, “o Bom Pastor que dá a vida por suas ovelhas”, mas que ao mesmo tempo é o “cordeiro Imaculado e sem defeito”(I Pedro 1,19).

Tendo se encarnado como ser humano, Jesus é gente como qualquer outra pessoa feita à imagem e semelhança de Deus, e por isso mesmo São João o apresenta em seu Evangelho como o “Cordeiro que tira o pecado do mundo”. Conhecedor da realidade e da natureza humana, Jesus sabe fazer-se aos homens e mulheres semelhante (Filipenses 2, 6-11). A nossa Profissão de Fé vê Jesus como verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Consubstancial ao Pai, veio gerado pela Virgem Maria e se fez homem, diz o Credo. E este homem que foi ovelha muda conduzida ao matadouro sem abrir a boca, como afirma a profecia de Isaías (Is 53) também é o Bom Pastor que “dá a vida por suas ovelhas”(Jo 10,11).

Ao mesmo tempo que é Deus e homem, este Jesus é Cordeiro e Pastor. Não é apenas uma figura poética ou uma representação artística do Bom Pastor com a ovelha nos ombros. É a imagem uma realidade profunda, teológica, espiritual e porque não existencial?

Este Jesus tão humano e tão divino, quer conduzir suas ovelhas às “fontes da água da vida” (Apocalipse 7 – 2ª leitura). Contudo, as ovelhas precisam confiar nele, conhece-lo, escutar a sua voz: As minhas ovelhas escutam a minha voz, eu as conheço e elas me seguem. Eu dou-lhes a vida eterna e jamais se perderão. E ninguém vai arrancá-las de minha mão!”(Jo 10, 27-28).

Este Bom Pastor, na descrição de São Lucas (capítulo 10) enviou seus discípulos “como cordeiro no meio de lobos” para todas “as cidades e lugares onde ele deveria ir”. Fica claro que este Deus que se fez gente quer contar com a ajuda da gente para levar o Evangelho a toda gente. Por isso ele quer contar com vocações, gente para ser luz para as multidões e ressaltar a fé. Ele mesmo disse, tal qual repetiram Paulo e Barnabé no Livro dos Atos dos Apóstolos: “Eu te coloquei como luz para as nações, para que leves a salvação até os confins da terra”.

O Dia Mundial de Oração pelas Vocações que sempre acontece no Domingo do Bom Pastor está na sua 59ª ocorrência na história. Sabendo que Jesus é o Bom Pastor a quem os filhos de Deus devem escutar, fica o convite para rezar, a fim de que muitos ouçam o chamado divino e coloquem-se à disposição do Senhor que quer ser seguido por suas ovelhas.

Neste ano de 2022, o Papa Francisco em sua Mensagem para o Dia Mundial de Oração pelas vocações, convida a escutar a voz do Bom Pastor como “chamados para construir a família humana”.  Em sua colocação fala da fraternidade e da possibilidade de cada cristão em ouvir o chamado de Jesus onde estiver, sem deixar de cumprir seu papel e missão no meio do mundo.

Há muitos que pensam que ouvir a voz de Jesus é apenas para quem quer ser padre ou freira, e por isso o Papa previne: “É preciso acautelar-se da mentalidade que separa sacerdotes e leigos, considerando protagonistas os primeiros e executores os segundos, e levar por diante a missão cristã, conjuntamente, leigos e pastores como único Povo de Deus. Toda a Igreja é comunidade evangelizadora.”

Queiramos estar com Deus, cumprindo nossa Missão e nossa Vocação, para que um dia enfim, estejamos entre os que vão para o paraíso depois de ter construído o céu na terra. Que sejamos contados entre aqueles que São João Evangelista descreve no livro do Apocalipse: “Eu, João, vi uma multidão imensa de gente de todas as nações, tribos, povos e línguas, e que ninguém podia contar. Estavam de pé diante do trono e do Cordeiro; trajavam vestes bancas e traziam palmas nas mãos”(Ap 7).

::Reveja a reflexão do Papa Francisco sobre o Bom Pastor

Por isso, se faz importante para cada um de nós, procurar estar entre as ovelhas de Jesus. É preciso escutar a voz do Senhor que chama. Chama porque tem um objetivo, que é levar para a eternidade, para um lugar melhor. Chama porque não quer que se percam (Jo 10,28) e não as quer na pequenez, na angústia, no sofrimento, mas quer que sejam conduzidas ao pai: “Meu pai que me deu é maior do que todos, e ninguém as pode arrebatar da mão de meu pai”(Jo 10,29).

Junto do Bom Pastor e com o Papa, neste 59º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, reflitamos o amplo significado da “vocação” no contexto duma Igreja sinodal que se coloca à escuta de Deus e do mundo. Nações e multidões precisam de vocações. De pessoas que escutem o Bom Pastor, e tal qual ele que “é um com o Pai” (Jo 10,30) queiram estar mais unidas a Deus. E quem está unido a Deus como Jesus e com Jesus, vem a ser capaz de conduzir outras ovelhas para o Reino de Deus, “porque o Cordeio que está no meio do trono será o seu pasto e os conduzirá às fontes da água da vida. E Deus enxugará as lágrimas de seus olhos”(Ap 7).

Olhemos para a família modelar de Nazaré. Peçamos ajuda! Nossa Senhora das Vocações interceda para que possamos dizer diante de Deus “Faça-se em mim segundo a tua Palavra”(Lc 1,38)  São José rogue para que despertemos do sono, e como ele realizemos a vontade de Deus (Mt 1,19). Assim, Jesus o Bom Pastor, perfeito mediador entre nós e o Pai, não permitirá que sejamos “arrebatados de sua mão”( Jo 10,29).

 

Padre Fabiano Dias Pinto – 8 de maio de 2022.

Curta Nosso Facebook
Comissões Pastorais

Boletim Informativo