Inicia o processo de Beatificação e Canonização de Carmen Hernández Barrera, precursora do Caminho Neocatecumenal

Está aberto, oficialmente, o processo de beatificação e canonização de Carmen Hernández Barrera, iniciadora, junto com Kiko Argüello, do Caminho Neocatecumenal, um itinerário de iniciação cristã, fruto do Concílio Vaticano II, que está a serviço da Igreja para levar às paróquias a beleza de viver a fé em pequenas comunidades. Esta iniciação cristã está presente no mundo todo, inclusive em cem dioceses do Brasil.

A cerimônia que marcou a abertura oficial, dando início à primeira etapa do processo, ou seja, a fase diocesana, aconteceu em 4 de dezembro, na Universidade Francisco de Vitória, em Madri, Espanha, sendo presidida pelo Arcebispo de Madri, Cardeal Carlos Osoro Sierra.

Esteve presente a Equipe Internacional responsável pelo Caminho Neocatecumenal, composta por Kiko Argüello, Ascensión Romero e Padre Mario Pezzi. Ascensión passou a integrar a equipe após a morte de Carmen em 19 de julho de 2016.

Carmen Hernández Barrera

Já Kiko conheceu Carmen na década de 60, em Palomeras Altas, periferia de Madri, lugar onde teve início o Caminho Neocatecumenal. Em sua fala, no início da cerimônia, ele recordou: “O Senhor nos uniu, Carmen e eu, durante mais de 50 anos, em uma missão de evangelização maravilhosa, que começou nesta diocese de Madri, como fruto do Concílio Vaticano II. Nos conhecemos em 1964, quando ela retornou de sua histórica peregrinação à Terra Santa. Eu havia ido viver em um barraco com os pobres de Palomeras. Ali, Carmen conheceu a comunidade de irmãos que se reuniam em meu barraco e ficou impressionada com a resposta que davam à Palavra de Deus. Decidiu ficar e viver conosco e construímos um barraco para ela. Carmen viu a presença de Jesus Cristo que vem salvar os pecadores, realizar o mistério de Páscoa e criar a comunhão onde é impossível que se realize.

Carmen foi estupenda! Foi uma mulher extraordinária, uma verdadeira profeta, uma autêntica missionária, que viveu a fé em grau heroico. Uma mulher excepcional! Importantíssima para a Igreja, sempre em oração, apaixonada por Cristo, pela Escritura, pela Páscoa, com um amor incondicional ao Papa e a Igreja”.

Na cerimônia, Carlos Metola, postulador da causa, leu o Supplex Libellus (libelo de súplica), que representa o pedido de abertura do processo em nome das partes autoras: a Equipe Internacional do Caminho Neocatecumenal, Fundação Família de Nazaré de Madri e Fundação Família de Nazaré de Roma.

Dom Carlos fez a leitura de aceitação do libelo de demanda e da nomeação do Tribunal Delegado para esta causa, composto pelo Delegado Episcopal para a Causa dos Santos, Padre Alberto Fernández Sánchez, o Promotor de Justiça, Padre Martín Rodajo Morales e as notárias adjuntas, Ana Gabriela García Martínez e Mercedes Alvaredo de Beas.

Uma vez iniciado o processo de beatificação e canonização, Carmen Hernández passa a ser reconhecida como Serva de Deus, uma vez que foi aceito o Supplex Libellus onde se afirma: “Carmen Hernández pôde viver as virtudes cristãs em grau heroico: a fé, a esperança, a caridade, a prudência, a justiça, a fortaleza, a temperança, a paciência, o sofrimento, a piedade, a aceitação da vontade de Deus, um amor profundíssimo pela Igreja e por Jesus Cristo, um imenso amor pela oração, pela hierarquia da Igreja, com uma grande liberdade na correção fraterna, e cremos ter muitas provas disso, através de seus numerosos escritos pessoais, catequeses, cartas e testemunhos de muitas pessoas que a conheceram.

Há uma fama de sinais e favores estendida ao povo de Deus, de que Carmen Hernández intercede ante a Deus por eles, devido a numerosas graças e favores que lhe pediram e continuam pedindo diariamente. Temos recebido mais de 1500 graças de mais de 70 países distintos de todo o mundo”.

A cerimônia encerrou com a estreia de dois poemas sinfônicos de Kiko Argüello: Filhas de Jerusalém e Aquedah, sendo este referente ao sacrifício de Isaac, filho de Abraão, narrado no capítulo 22 do livro do Gênesis, e aquele se refere ao capítulo 23 do Evangelho de São Lucas, que narra a subida de Jesus Cristo ao Calvário para ser crucificado. A apresentação foi feita pela Orquestra Sinfônica do Caminho Neocatecumenal.

O evento foi transmitido, ao vivo, pelo canal oficial da Arquidiocese de Madri no YouTube. No Brasil, a transmissão foi feita, com tradução simultânea, pelo canal oficial do Caminho Neocatecumenal no Brasil no YouTube. Assim, a cerimônia pôde ser acompanhada em todo o mundo, de forma que, em muitos lugares, inclusive no Brasil, as comunidades neocatecumenais se reuniram para acompanhar a transmissão.

Processo de beatificação e canonização

A vida de Carmen foi dedicada à evangelização e, após seu falecimento em 19 de julho de 2016, foram relatados, no mundo todo, milhares de favores e graças alcançados por sua intercessão. Com isso, no ano de 2021, ao se completarem cinco anos de seu falecimento, foi pedido formalmente a abertura do processo de canonização e beatificação de Carmen, cuja abertura oficial, se dá então, neste mês de dezembro de 2022.

Coiniciadora do Caminho Neocatecumenal

Carmen nasceu em Ólvega (Sória, Espanha), em 24 de novembro de 1930 e viveu sua infância em Tudela (Navarra, Espanha). Depois de se licenciar em Química na Universidade Complutense de Madri e trabalhar um tempo na empresa da família, iniciou sua missão de anunciar o evangelho, chamado que sentia desde muito jovem.

Deus conduziu Carmen por diversos caminhos durante sua juventude, até que, na década de 60, ela conheceu Kiko Argüello, em Palomeras Altas, periferia da capital espanhola. Entre os pobres, ambos descobriram a força do Mistério Pascal e da pregação do Querigma que é a Boa Notícia de Cristo morto e ressuscitado, e, assim, nasceu a primeira comunidade neocatecumenal. Graças à confirmação desta nova realidade pelo então arcebispo de Madri, Monsenhor Casimiro Morcillo, Carmen colabora com Kiko levando às paróquias – primeiro a Madri, depois a Roma, e a partir de então a outras cidades e nações – esta obra de renovação da Igreja.

Livros

No Brasil, há dois livros publicados que apresentam a história de Carmen: Carmen Hernández – Notas Biográficas (Edições Loyola), da autoria de Aquilino Cayuela, e Carmen Hernández Diários 1979-1981 (Editora Vozes) com anotações feitas por ela em seus diários, em que relata fatos de sua vida e manifesta sua relação pessoal em diálogo com Jesus Cristo.

Mais informações, acesse:

Site oficial para a causa de canonização e beatificação de Carmen Hernández: https://carmenhernandez.org/pt-br/

Site oficial internacional do Caminho Neocatecumenal: https://neocatechumenaleiter.org/pt-br/

__

Por
Assessoria de Comunicação
Centro Neocatecumenal de Brasília