Testemunho Missionário: Missão Católica São Paulo VI em Guiné Bissau, na África

missao-catolica-guine

O país da Guiné Bissau tem aproximadamente 1,6 milhão de habitantes. Destes, apenas 17% são cristãos. Segundo relatórios da ONU, está entre os 10 mais pobres do mundo. Lá muitas famílias se alimentam apenas uma vez ao dia e comem somente arroz. O longo período de estiagem (8 meses) sem chuva faz com que os poços vão secando e as mulheres caminhem cada vez mais longe em busca de água. E quando vem a chuva vêm também doenças, entre elas a malária. Guiné Bissau tem duas dioceses: Diocese de Bissau, na capital, e Diocese de Bafatá, cujo território abrange a região leste e sul do país.

É neste contexto que a Igreja do Paraná realiza no local a  Missão Católica São Paulo VI, que tem cada vez mais se integrado com a comunidade local, promovido obras assistenciais e de construção, e cada vez mais evangelizando.  O coordenador do Conselho Missionário do Regional Sul 2 (Comire), Odaril José da Rosa, que esteve na Guiné-Bissau no início do projeto missionário, conta como tem sido a Missão desde o início. Acompanhe:

Missão Católica São Paulo VI em Guiné Bissau, na África

Em 2010, Dom Pedro Zilli, bispo brasileiro da Diocese de Bafatá, em Guiné Bissau, solicitou ajuda aos bispos do Paraná. No final de 2011, os bispos autorizaram a visita de uma equipe do Conselho Missionário Regional – Comire à diocese de Bafatá. A equipe voltou animada com o convite de Dom Pedro para nosso Regional assumir a missão em uma cidade daquela diocese.

Após estudos elaborados pelo Comire e com aprovação dos bispos, em 2013 foi assumido que a partir de 2015 enviaríamos missionários para a Cidade de Quebo. Graças ao empenho de todos conseguimos, já em 2014, enviar a primeira equipe para a Guiné Bissau: o leigo Odaril José da Rosa, da Arquidiocese de Curitiba, e os Diáconos permanentes Pedro Avelino Lang e Metódio Retexin, da Diocese de Ponta Grossa.

No dia 19 de outubro de 2014, Dia Mundial das Missões e Beatificação de Paulo VI em Roma, aconteceu a Missa de inauguração oficial da primeira representação Católica com residência fixa na Cidade de Quebo, que fica a 110 km da sede da diocese.

A Cidade de Quebo fica no sul da Guiné Bissau, na fronteira com a Guiné Equatorial. Tem aproximadamente sete mil habitantes, sendo 90% muçulmanos e Religiões de Tradição Africana – RTA. Os cristãos católicos são menos de 1%.

O terreno da Missão Católica foi doado por uma diocese da Itália. Nestes quase cinco anos de presença dos missionários do Paraná em Quebo tivemos um grande progresso. Durante um ano e meio os missionários moraram numa casa alugada de um muçulmano. A pequena comunidade de Quebo acolhe com muita alegria os missionários, e já desfruta dos benefícios que a Missão Católica tem realizado nas áreas de evangelização, saúde e educação.

Após a construção das casas dos missionários, do padre e de hóspedes a meta, agora, é a construção de uma escola e futuramente um posto de saúde e a Igreja. Entre as benfeitorias para a comunidade de Quebo temos um poço com bomba manual, que abastece as necessidades de Quebo durante o período de estiagem, e um poço artesiano, com bomba elétrica. Foi construído um barracão polivalente para catequese, reuniões e celebrações. Hoje, nossa intenção é tornar a Missão Católica de Quebo uma casa de experiência missionária ad gentes.

Em paralelo com as obras da construção desenvolvem-se atividades de evangelização. A comunidade é bem participativa e estamos muito felizes, sobretudo com o aumento significativo de pessoas nas celebrações dominicais da Santa Missa. Em 2014 tínhamos apenas 15 batizados e cerca de 40 catequizandos, lembrando que para receber o Batismo, são necessários quatro anos de catequese catecumenal. Hoje são mais de 40 batizados e 249 catequizandos. Iniciamos a formação das pastorais e movimentos, estruturação do CPC na comunidade e, por último, implantação da pastoral do Dízimo. Todo o processo é lento, é uma Igreja que está dando seus primeiros passos. Com a Graça de Deus e perseverança de todos, Ele vai escrevendo uma nova história para a pequena comunidade de Quebo.

A pedido dos bispos das Dioceses de Bissau e Bafatá, em 2016 foi realizada uma ação missionária envolvendo a Infância Missionária e a Catequese do Regional Sul 2, com o objetivo de enviar 20 mil Bíblias para a Guiné Bissau. A “Ação Missionária 20.000 Bíblias para a África”, teve como lema: Missão, Palavra e Pão e com os recursos arrecadados, foi possível enviar 25.000 Bíblias para Guiné Bissau.

Durante estes cinco anos, entre os missionários residentes e visitantes tivemos mais de 35 pessoas do Paraná visitando a nossa a Missão Católica São Paulo VI. Os primeiros missionários residentes foram o Diácono Pedro Lang e sua esposa Salete Lang. Também tivemos a jovem Samara Taiza Zuirtes, de Curitiba, que dedicou dois anos de sua vida trabalhando como enfermeira na missão de Gabu e de Quebo. O seminarista Gabriel Francisco, da Diocese de Cascavel, retornou no mês de julho para o Brasil, após fazer uma experiência de 18 meses na Missão de Quebo.

Atualmente, temos cinco missionários residentes em Quebo: o casal Percio e Marcia Vitória, da Arquidiocese de Curitba; a jovem Mariana Baião, da Diocese de Jacarezinho; a jovem pedagoga Amanda Doenea da Diocese, de Umuarama; e a pedagoga aposentada Maria Seli da Cruz, da Diocese de Francisco de Beltrão.

 

Seja você também um(a) missionário(a). Nossa casa de hospedes está à disposição da Igreja do Paraná. No site da CNBB Regional Sul 2 (www.cnbbs2.org.br/africa) você poderá ver fotos e vídeos da Missão Católica São Paulo VI.

* Odaril José da Rosa – Comire

Curta Nosso Facebook
Comissões Pastorais

Boletim Informativo