“Estende a tua mão ao pobre”: o atendimento à população em situação de rua em Curitiba

A pobreza visível nas ruas de Curitiba revela também uma face solidária“, aponta o padre Eguione Nogueira Ricardo, cmf, no artigo que apresentamos a seguir.

Foto: Joka Madruga/ Pascom Bom Jesus dos Perdões
Foto: Joka Madruga/ Pascom Bom Jesus dos Perdões

No texto, o padre assessor da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese traz um panorama do andamento das ações solidárias à população mais vulnerável, após mais de seis meses dos primeiros casos da pandemia em Curitiba. Ele traz dados de como tem sido o atendimento e mostra como temos a bênção em contar com “muitas mãos unidas e estendidas aos nossos irmãos e irmãs em situação de vulnerabilidade social“. O artigo encerra com um convite aberto a todos.

 

“Estende a tua mão ao pobre” (Eclo 7,32)

Em sua mensagem para o 4º Dia Mundial dos Pobres, o Papa Francisco, nos ensina que “a pobreza assume sempre rostos diferentes, que exigem atenção a cada condição particular: em cada uma destas, podemos encontrar o Senhor Jesus, que revelou estar presente nos seus irmãos mais frágeis (cf. Mt 25, 40)”. Nesse sentido, desde o dia 27 de março de 2020, em plena pandemia, a Pastoral do Povo da Rua, junto com a Arquidiocese de Curitiba e a Paróquia Bom Jesus dos Perdões, assumiu o desafio de continuar atendendo a população em situação de rua, que neste momento se encontra em maior vulnerabilidade.

O que a pandemia tem nos mostrado é que a pobreza visível nas ruas, praças e marquises da cidade de Curitiba tem uma outra face: a da solidariedade que tem unido diversas pessoas de boa vontade, independente da denominação religiosa, para, ao menos, amenizar o sofrimento das pessoas que se encontram em situação de rua, garantindo-lhes o mínimo de dignidade.

Por essas tantas mãos estendidas, seja pelas doações ou pelo voluntariado, queremos reforçar nosso agradecimento e prestar contas do que temos feito até o momento.

O projeto “Mesa Fraterna” atende todos os dias da semana no Restaurante Popular Matriz, localizado na Praça Rui Barbosa: de segunda a sexta servimos, pelo menos, um lanche com uma bebida, das 16h às 17h. Aos sábados e domingos são entregues marmitas das 12h às 13h30. São atendidas, diariamente, uma média de duzentas pessoas (o número varia de 150 a 250, chegando até 300 pessoas). Este projeto se insere dentro do programa Mesa Solidária, da Prefeitura de Curitiba, espalhados em três lugares.

A entrega das marmitas aos sábados é uma parceria com o projeto MAKON, dos Vicentinos. E desde o mês de maio, inicialmente com o Distrito 1340 e Gentlemen Moto Grupo, conseguimos estender a ação aos domingos. Com isso, aos domingos, quatro grupos assumiram até o mês de dezembro a entrega das marmitas: Kobe – Fomento Social; Missão Gênesis; Luz no Caminho e Caravana do Bem. Além disso, uma campanha da ARBITAC (Câmara de Mediação e Arbitragem), o Instituto ACP para Inovação e o Conselho de Jovens Empresários (CJE) em parceria com a Arquidiocese de Curitiba, tem garantido uma vez por semana a entrega de lanches. A Paróquia Divino Espírito Santo tem doado uma vez por semana, cerca de 30 pães caseiros e o sr. Paulo Saçaki, da panificadora Japadoca, uma média de 300 pães diariamente.

O atendimento às pessoas em situação de vulnerabilidade social se mantém ao longo de mais de seis meses com as doações que chegam constantemente, seja de pessoas físicas ou de instituições, tais como frutas e verduras doados pela Ação Social do Paraná (ASP) e Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), cobertores, roupas e kits de higiene. As doações em dinheiro, via depósito somam quase 58 mil reais desde o início da campanha. Esse dinheiro, além de atender às nossas necessidades na compra de alimentos, marmitas descartáveis etc. tem sido utilizado para outras ações sociais da Arquidiocese, tais como compra de cestas básicas e ajuda a imigrantes.
Ao longo desses seis meses, foram distribuídas mais de 55 mil refeições! Isso tudo não teria como ser realizado sem a ajuda dos nossos voluntários, que dedicam um tempo precioso da semana na preparação e entrega das refeições. Ao todo, mais de 60 voluntários passaram pelo nosso projeto. Hoje podemos contar com pouco mais de 20 pessoas. Por isso, reforçamos o pedido de mais voluntários para que esse projeto continue gerando frutos de esperança para os nossos irmãos e irmãs mais necessitados.

A mão estendida ao pobre tem nos ajudado a narrar uma história de solidariedade neste tempo da pandemia em nossa cidade de Curitiba. São muitas mãos unidas e estendidas aos nossos irmãos e irmãs em situação de vulnerabilidade social. “Possa então a mão estendida enriquecer-se sempre com o sorriso de quem não faz pesar a sua presença nem a ajuda que presta” (Papa Francisco).

Pe. Eguione Nogueira Ricardo, cmf
Assessor da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de Curitiba.

 

Como ser voluntário?

Entre em contato pelo whatsapp:   (41) 99970 3691 (Márcia) ou  (41) 99509-8199 (Flávia)

Curta Nosso Facebook
Comissões Pastorais

Boletim Informativo