Irmã Valéria: testemunhar o amor de Deus entre os jovens

De 2 a 10 de fevereiro, os membros da Presidência e os assessores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), estiveram em Roma. Tratou-se da visita anual ao Pontífice e aos Dicastérios que integram a Cúria Romana, após a vivência da Assembleia Geral da CNBB. Na última quinta-feira (09/02), eles foram recebidos pelo Papa Francisco em uma audiência privada. O Vatican News conversou com a irmã Valéria Andrade Leal, da Congregação das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, que desde 2019 é assessora da Comissão Episcopal para a Juventude.

A Comissão para a Juventude é presidida por dom Nelson Francelino Ferreira, bispo da Diocese de Valença (RJ). Fazem parte dela, também, dom Antônio de Assis, SDB (Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém) e dom Amilton Manoel (bispo diocesano de Guarapuava, Paraná) ; além de dois assessores nacionais, irmã Valéria, ASCJ (assessora interna) e o padre Antônio Ramos Prado (assessor externo). Além disso, a Comissão é auxiliada por 18 bispos referenciais da juventude nos Regionais da CNBB, por uma Coordenação Nacional de jovens, pela equipe Nacional de Comunicação (Jovens Conectados) e por várias equipes dedicadas à evangelização da juventude e, ocasionalmente, por assessores e peritos convidados.

Testemunhar o amor de Deus entre os jovens

Falando sobre o trabalho que desenvolve como assessora, irmã Valéria disse que sua missão em primeiro lugar é a de testemunhar o amor Deus entre os jovens, percebendo sobretudo a sede que eles tem e a forma como eles buscam o encontro com o Senhor nos diferentes grupos da Igreja no Brasil, que são grupos muito diferentes, com tendências teológicas, regionalidades, culturas e visão de Igreja distintas. Ela testemunha que é um trabalho muito rico e que é bonito perceber a busca, a sede do jovem de encontrar o Senhor, de aprofundar a espiritualidade e sua tarefa, como assessora, é a de indicar caminhos para encontrar esse amor de Deus que eles tanto buscam.

Promover a unidade nas diferenças

Sobre a forma como o trabalho da comissão é desenvolvido, ela afirmou que existem frentes de trabalho para atender as necessidades das expressões juvenis, como os grupos de jovens que são ligados aos carismas de congregações religiosas, de comunidades novas, grupos paroquiais, as PJs (grupos de pastoral da juventude) que atuam há mais tempo no Brasil e os grupos dos movimentos eclesiais que são focados na juventude. Para cada um desses grupos a Comissão promove eventos específicos, além dos eventos nacionais com todos os grupos juntos. A ideia é promover a unidade nas diferenças, sobretudo em torno do Cristo crucificado e ressuscitado.

Em seu trabalho, irmã Valéria viaja por todo o Brasil, convidada pelas dioceses, estruturas regionais da CNBB e congregações religiosas, para ministrar formações e encontros para assessores adultos, lideranças jovens e jovens em geral. A respeito deste trabalho ela disse que a Comissão procura estabelecer diretrizes, eixos de trabalho, que possam dar a unidade perpassando o planejamento de todas as expressões juvenis. A ideia é caminhar junto e para identificar quais são as maiores necessidades. A Comissão também prepara materiais, textos e subsídios para colaborar com a formação dos grupos de jovens, que podem ser encontrados no site Jovens Conectados e materiais impressos pela Edições CNBB.

JMJ Lisboa

Sobre a próxima edição da Jornada Mundial da Juventude, que será sediada em Lisboa (Portugal), no próximo mês de agosto ela disse que a Comissão montou um grupo formado por representantes dos Jovens Conectados e dos Jovens que representam as congregações, movimentos e pastorais, que atuam para fazer uma animação em todo o Brasil, através de uma live que é feita mensalmente, incentivando a participação,  assessorando os grupos que estão se organizando para ir à JMJ, atuando junto às agências de turismo e companhias aéreas para  a redução de preços, favorecendo a participação do maior número de jovens possível.

Encontro com o Papa Francisco

irma-valeria-e-papa
Momento do encontro com o Papa (Vatican Media)
Durante a visita ao Santo Padre, que ocorreu na quinta-feira, 9 de fevereiro, ao cumprimentá-lo, irmã Valéria o abraçou, e sobre isso ela afirmou que foi um gesto espontâneo, não planejado, que surgiu por se sentir acolhida num momento muito especial de sentir com a Igreja, e ao mesmo tempo por ver o Papa Francisco com as limitações que a idade impõe, lutando com tanta garra para fazer sua missão acontecer, em pé, recebendo os bispos e assessores, e quando chegou sua vez ela perguntou: “posso te abraçar?”, e essa foi sua forma de representar a juventude pela qual trabalha e dedica sua vida.
__