Membros da Arquidiocese de Curitiba recebe Prêmio João Paulo II 2024 na Câmara Municipal Curitiba

Para vereadores, premiação é importante num momento de instabilidade política internacional e de cataclismos ambientais que demandam solidariedade.

O prêmio Papa João Paulo II, entregue na Câmara Municipal de Curitiba nesta quinta-feira (9), é destinado àqueles que se esforçam em prol das causas da Igreja Católica. (Fotos: Carlos Costa/CMC)

Nesta quinta-feira (9), a Câmara Municipal de Curitiba (CMC) realizou uma sessão solene para a entrega do Prêmio João Paulo II, destinado a pessoas e entidades que se destacaram apoiando as causas defendidas pela Igreja Católica Apostólica Romana. A sessão foi presidida pelo vereador Tito Zeglin (MDB), primeiro-vice-presidente da CMC.

Além dele, a mesa foi composta também por vereador Osias Moraes (PRTB), primeiro-secretário da Câmara; Mauro Ignacio (PSD), segundo-vice-presidente; vereador Mauro Bobato (PP), segundo-secretário interino; vereador Tio Kuzma (PSD), líder do prefeito na Casa; vereadora Giorgia Prates – Mandata Preta (PT), Procuradora interina da Mulher na Câmara; e Dom Reginei José Modolo, bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba.

Tito Zeglin salientou a relevância do prêmio, criado em 2006 e reinstituído pela lei complementar 109/2018. “Uma honraria que ganha relevo em um momento histórico em que cada vez mais precisamos do espírito de fraternidade e solidariedade, que é característico da fé cristã”, disse o vereador.

Também estavam presentes os vereadores Alexandre Leprevost (União); Bruno Pessuti (Pode); Ezequias Barros (PRD); Herivelto Oliveira (Cidadania); Hernani (Republicanos); João da 5 Irmãos (MDB); Leonidas Dias (Pode); Marcos Vieira (PDT); Nori Seto (PP); Oscalino do Povo (PP); Rodrigo Reis (PL); Sidnei Toaldo (PRD); e Zezinho Sabará (PSD). Durante a sessão, foi exibido um documentário com imagens da passagem do Papa João Paulo II por Curitiba, em 1980.

 

O vereador Pier Petruzziello iniciou a saudação oficial mencionando que o prêmio João Paulo II foi instituído em 2018, reconhecendo o trabalho de pessoas e entidades que se destacaram em atividades de apoio às causas defendidas pela Igreja Católica. “Vocês foram escolhidos entre milhares de curitibanos que fazem o bem para serem agraciados com este prêmio”, disse. Ele assinalou que vivemos um período marcado por conflitos de toda espécie, com guerras, intolerância religiosa e intolerâncias de todos os tipos. “Além, é claro, da devastadora tragédia ambiental que se abateu sobre nossos irmãos do Rio Grande do Sul”, destacou.

O vereador mencionou que Jesus Cristo sofreu perseguições por parte do Império Romano, que foram motivadas justamente pela intolerância religiosa. Petruzziello entende que, em certos aspectos, a sociedade involuiu. “O ódio se sobrepõe à empatia, mas quando percebemos que há pessoas na sociedade como vocês constatamos que existe esperança para a humanidade”, afirmou o vereador. Ele encerrou sua fala comentando que os homenageados inspiram e demonstram que o ser humano pode ser bom.

A responsabilidade da honraria chamada Papa João Paulo II

Dom Reginei José Modolo, bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba, agradeceu à Câmara Municipal de Curitiba pela honraria. “Somos 26 homenageados e, como disse o vereador Pier, dentre tantos milhares de cidadãos que em Curitiba praticam o bem, nós fomos escolhidos para esta premiação”, disse. Ele assinalou a responsabilidade e o desafio que é receber um prêmio que ostenta o nome do Papa João Paulo II. “Um desafio para que não esmoreçamos e continuemos firmes na prática de tantos valores, princípios e ensinamentos”, afirmou o religioso.

Dom Reginei também lembrou da encíclica publicada por João Paulo II, cujo título é Jesus Cristo: Esplendor da Verdade, entendendo o conceito de verdade na perspectiva da fé cristã. De acordo com o religioso, o Papa João Paulo II também se debruçou sobre o tema do trabalho. “João Paulo II pode trazer ao mundo suas reflexões sobre a liberdade, sobre a liberdade de pensamento e de fé, sobre a liberdade nas relações sociais”, comentou. O bispo destacou que esse papa ficou conhecido como apóstolo missionário da paz, levando aos locais marcados pelo sofrimento a chama da esperança e da solidariedade. “Receber essa homenagem é uma responsabilidade para cada um de nós e, como Igreja Católica, devemos auxiliar na construção desta cidade”, finalizou.

 

Além do Bispo Auxiliar de Curitiba, Dom Reginei José Modolo, outros membros da Arquidiocese de Curitiba também receberam o prêmio. Confira a lista a seguir:

Diác. Amazonas Dias da Silva (Paróquia Nossa Senhora das Graças e Santa Gemma Galgani) – Mauro Ignácio (PSD)
Filho de José Dias da Silva e Anadir Antunes da Silva. Casado com Ana Stoski da Silva, pai de Tatiele Stoski da Silva, Michel Stoski da Silva, Talita Stoski da Silva e Tatiana Stoski da Silva, avô de Angélica Cordeiro da Silva e Lívia Stoski Makoski. Residente no Bairro Abranches, no domínio da Paróquia de Sant’Ana do Abranches da Arquidiocese de Curitiba, atua como diácono permanente desde janeiro de 2022. Técnico mecânico e especialista em processos na área de mineração, exerceu a profissão por 34 anos na empresa Votorantim Cimentos, em Rio Branco do Sul, onde residiu por 32 anos. Em 2011, mudou-se para o bairro Abranches e foi transferido e incardinado como diácono permanente na Paróquia Nossa Senhora das Graças e Santa Gemma Galgani, no bairro Barreirinha, atuando em 11 comunidades até dezembro de 2021. Sempre apoiou e valorizou líderes locais que buscam trabalhar pelo bem da sociedade, independente de credo ou religião.

Pe. André Luís Buchmann (Vigário Judicial Adjunto do Tribunal Eclesiástico da Arquidiocese de Curitiba) – Leonidas Dias (Pode)
O padre André Luís Buchmann iniciou a sua missão na Igreja Católica em 1996, quando foi ordenado sacerdote na Catedral Diocesana de Paranaguá. Bacharel em Teologia pela Pontifícia Universidade Lateranense de Roma e mestre em Direito Canônico, sua atuação de décadas foi reconhecida por onde passou. O arcebispo de Curitiba, Dom José Antônio Peruzzo, solicitou formalmente que o padre André Luís Buchmann assumisse a Paróquia Santa Cruz e Santa Efigênia, localizada próximo ao terminal da Barreirinha.

Joaquim Eduardo Madruga (Membro da Comissão de Comunicação) – Giorgia Prates – Mandata Preta (PT)
Joka Madruga é repórter fotográfico independente há mais de 20 anos em Curitiba. Na década de 1990, coordenou grupos de jovens em Andirá (PR), esteve à frente da Pastoral da Juventude na Diocese de Jacarezinho, foi secretário da Pastoral da Juventude na CNBB-Regional Sul 2 e integrou as Coordenações Nacionais da Pastoral da Juventude do Brasil e Pastoral da Juventude Rural. Esteve na Venezuela e na Guatemala para reportagens fotográficas. No Brasil, já fotografou em todas as regiões, com destaque para os projetos documentais Águas Para Vida, ainda em desenvolvimento no Pará, Rondônia e Mato Grosso; Lama que Mata, em Mariana (MG) e Brumadinho (MG); e o Santos Brasileiros, registrando manifestações da religiosidade popular em diversas cidades. Atualmente, é coordenador da Pastoral da Comunicação na Paróquia Senhor Bom Jesus dos Perdões e integrante da Comissão de Comunicação da Arquidiocese de Curitiba. Na Paróquia, é responsável pela cobertura dos eventos e pastorais, redes sociais e assessoria de imprensa, com destaque para a documentação do projeto Mesa Fraterna, que distribui refeições para a população em situação de rua na região da Praça Rui Barbosa.

Pe. Luis Fernando Costa (Paróquia Sagrados Corações de Jesus e Maria) – Tico Kuzma (PSD)
O padre Luis Fernando Costa é um exemplo do compromisso e dedicação à sua vocação e à comunidade em que serve. Desde tenra idade, nutria o desejo de seguir a vida sacerdotal. Sua atuação como capelão no Hospital Pequeno Príncipe é um exemplo de seu compromisso em levar conforto e esperança a enfermos e suas famílias. Costa é pároco da Paróquia Sagrados Corações de Jesus e Maria, em Curitiba, e divide seu tempo como mestrando em Direito Canônico. Sua primeira experiência como padre foi em Roma. Já em Curitiba, seu primeiro ministério se notabilizou por ajudar na promoção das vocações. Em 2020, a pedido do bispo Dom Peruzzo, assume como vigário paroquial, em Colombo. Desde 2020, está na Paróquia Sagrados Corações de Jesus e Maria, no bairro Hugo Lange. O padre Luis Fernando Costa também é capelão do Hospital Pequeno Príncipe. Todas terças e sextas-feiras, visita as crianças que estão doentes, realiza batizados e faz assistência espiritual para as famílias.

Pe. Mário Renato Barão Filho (Coordenador da Ação Evangelizadora da Arquidiocese de Curitiba) – Alexandre Leprevost (União)
O padre Mário Renato Barão Filho nasceu em 14 de dezembro de 1984, em Curitiba. Em 2008, ingressou na Paróquia Nossa Senhora do Amparo, em Rio Branco do Sul. Um ano depois, em 2009, retornou a Curitiba, onde assumiu a Paróquia Nossa Senhora da Visitação, no bairro Boqueirão, na qual permaneceu até 2023. Atualmente, atua no Santuário Nossa Senhora de Lourdes, no bairro do Campo Comprido. Sua responsabilidade inclui coordenar a Pastoral Social, auxiliando famílias necessitadas durante todo o ano. Nos períodos mais frios, a pastoral ajuda pessoas em situação de rua, fornecendo alimentos, agasalhos e cobertores. O padre Mário está no Santuário para acolher, abençoar, orientar, confessar, celebrar, entre outras atividades. São muitos os peregrinos que buscam seu auxílio divino.

Diác. Renato César de Oliveira (Paróquia São José das Famílias) – Marcos Vieira (PDT)
O diácono Renato nasceu em 9 de novembro de 1968, na cidade de Pinhalão (PR). Casou com Rosana Cristina Passador de Oliveira no dia 17 de novembro de 1990. É pai de dois filhos, Renan César de Oliveira e Rafael César de Oliveira, além de avô de Heloísa Amorim de Oliveira. Em 1986, seus falecidos pais Sebastião e Irene decidiram se mudar para a Curitiba, para proporcionar a ele e seus irmãos um futuro melhor. Com 17 anos, ingressou na empresa Bamerindus Seguros. Em seguida, foi transferido para a SulAmérica Seguros. Além disso, atuou também na Cáritas Regional, coordenando a Casa de Acolhida Santa Dulce dos Pobres. Aposentou-se por tempo de trabalho. Em 2010, recebeu o convite para ingressar na Escola Diaconal São Felipe, ingressando efetivamente em 2012. Fez a formação e recebeu o Sacramento da Ordem no dia 6 de agosto de 2016, como diácono permanente, sendo provisionado na Paróquia São Pedro Apóstolo, no Xaxim. Em 2018, foi transferido para a Paróquia São José das Famílias, na qual exerce seu ministério até os dias atuais.

Diác. Romão Felix Carvalho (Paróquia Nossa Senhora da Conceição do Butiatuvinha) – Sidnei Toaldo (PRD)
Romão Felix Carvalho é militar aposentado do Exército Brasileiro. Nascido em 29 de dezembro de 1944, natural de Foz do Iguaçu, é casado há 52 anos com Joaci Maria Carvalho. Do fruto desse matrimônio nasceram Jonathan e Joneram. Sua história missionária se entrelaça com os caminhos da paróquia desde o ano de 2001, quando foi convidado a participar de encontros de casais. Durante três anos, Romão se dedicou aos estudos teológicos direcionados ao ministério diaconal, culminando em sua ordenação como diácono em 20 de julho de 2014. Desde então, serve ativamente como diácono na Paróquia Nossa Senhora da Conceição do Butiatuvinha, uma comunidade da qual é morador há 47 anos.

Sandra Regina Machado Nassar (Coordenadora da PASCOM Arquidicesana) – Pier Petruzziello (PP)
Jornalista, graduada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, com 40 anos de atuação em empresas jornalísticas da iniciativa privada e órgãos públicos, foi escolhida pelo padre Kleina para a coordenação da Pastoral da Comunicação. Desde 2021, integra a Comissão de Comunicação da Arquidiocese de Curitiba. É coordenadora da Pastoral da Comunicação da Paróquia Bom Pastor de Curitiba e colaboradora da Escola de Comunicação do Instituto de Formação da Fé da Arquidiocese de Curitiba. Em 2023, assumiu a coordenação da Pastoral da Comunicação Arquidiocesana. Empresas de comunicação e órgãos públicos em que trabalhou: O Estado Paraná, Folha de Londrina, Jornal do Estado, Diário do Grande ABC, TV Globo, TV Manchete, Secretaria Municipal da Comunicação Social da Prefeitura de Curitiba, Secretaria Estadual da Comunicação Social do Paraná, Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) e Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

Santuário São José (Capão Raso) – Tito Zeglin (MDB)
Foi representado por Aparecida Viana da Cunha e Silvia Abrantes. Com 65 anos de história, a Paróquia São José do Capão Raso é uma grande referência cristã em Curitiba. A paróquia promove atividades diversas, como festas, festivais, retiros, casamentos comunitários.

__

Por
Câmara Municipal de Curitiba