Mês do Sagrado Coração de Jesus – Ano da Misericórdia

Confira mensagem de nossa Comissão da Dimensão Econômica e Dízimo sobre o Mês do Sagrado Coração de Jesus:

Nossa mensagem tem por objetivo contribuir para uma reflexão baseada nas temáticas litúrgicas relativas ao mês e ano em que estamos vivendo.

Assim, iniciamos tendo por base a espiritualidade cristã, que tem a imagem do coração como lugar da consciência e como fonte do amor. Em geral dizemos que o coração é o lugar onde residem as virtudes e o próprio amor.

Ora, sendo Jesus Cristo o filho unigênito de Deus, feito homem, é em seu coração pleno de amor misericordioso que nós, seres humanos, devemos nos espelhar para conhecer e vivenciar a vontade de Deus Pai, nosso criador.

Com efeito a devoção ao Sagrado Coração de Jesus se fundamenta no amor manifestado na humanidade de Jesus, filho unigênito do Pai.
Para revelar a vontade de Deus para conosco, seus filhos adotivos, Jesus, em sua existência humana só ensinou a fazer o bem e, num gesto supremo de amor, tudo partilhou doando-se inteiramente até a morte na cruz, para alcançar a redenção do gênero humano marcado pelo pecado.

Entretanto, nós só iremos reconhecer realmente o Cristo quando, em nome de Jesus, repartirmos o pão entre nós, filhos que somos do mesmo Pai. Esse “repartir o pão” significa praticar concretamente a partilha de nossos dons e bens pessoais nas comunidades onde vivemos.

Portanto, é neste contexto que devemos entender a espiritualidade e o significado do DÍZIMO como instrumento concreto de partilha, de participação comunitária. No que se refere à aplicação dos recursos financeiros arrecadados através de nossas Ofertas e da contribuição dizimal e, tendo sempre em mente as três dimensões em que o dízimo é concebido na Igreja Católica, fica evidente o seu profundo caráter evangelizador.

De fato, dentro dessa concepção do dízimo, além de ficarem asseguradas as condições para a manutenção do Culto e do Templo, isto é, do processo de Evangelização, o mesmo possibilita, inclusive, à comunidade de Igreja, assistir materialmente aos mais necessitados através das pastorais sociais. Esta é a prática concreta da verdadeira caridade, isto é, o amor evangélico sintetizado na célebre frase de Jesus: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.

É neste contexto, também, que todo integrante da Pastoral do Dízimo em nossa Igreja Católica, sendo autêntico missionário de Nosso Senhor Jesus Cristo, deve empenhar-se junto às lideranças da Igreja em todos os seus níveis (diocesano, paroquial e de comunidades menores), no sentido de que, parte significativa dos recursos arrecadados através do Dízimo atenda efetivamente ao que preconiza a sua DIMENSÃO SOCIAL OU SOLIDÁRIA. Esta dimensão deve apoiar as atividades das Pastorais Sociais da Igreja, sem que seja necessário utilizar-se de outras formas de arrecadação, mas contribuindo assim, para que ela cumpra os propósitos implícitos em sua “opção preferencial pelos pobres”.

Concluindo, neste mês de junho, no ano consagrado à Divina Misericórdia – como verdadeiros cristãos, procuremos participar dos eventos em honra ao Sagrado Coração de Jesus, refletir muito e agradecer a Deus Criador por tudo o que Dele recebemos. Principalmente pelo direito de devolvermos um pouco de tudo o que somos e temos, e assim contribuirmos para a construção do Reino de Deus, já neste mundo.

Comissão da Dimensão Econômica e Dízimo:
Padre Referencial: Anderson Bonin; Coordenador da Comissão: João Coraiola Filho; Coordenador da Equipe do Dízimo: William Michon.