Iniciativa da Igreja pede ajuda com doações para população de rua na pandemia

De acordo com o padre, os moradores de rua estão com dificuldade em conseguir comida

O padre Eguione Nogueira Ricardo, assessor da Pastoral Povo de Rua da Arquidiocese de Curitiba, pede ajuda com doações para moradores de rua atendidos na Paróquia Bom Jesus, na Praça Rui Barbosa, no Centro de Curitiba. Em entrevista à Banda B, na manhã desta segunda-feira (30), ele afirmou que a ajuda é para se dar um café reforçado aos moradores de rua e protegê-los durante a pandemia de coronavírus.

“É uma ação do Pastoral do Povo de Rua, que a gente já fazia antes do coronavírus. Agora, precisamos de água, chá e leite, porque damos um café reforçado durante a tarde. Além disso, estamos recebendo roupas, sobretudo masculinas, e kits de material de higiene”, descreveu.

De acordo com o padre, que é missionário claretiano da Paróquia do Imaculado Coração de Maria, os moradores de rua estão com dificuldade em conseguir comida. “Alguns aceitaram ser recolhidos pela FAS, mas outros ainda não estão. Com a diminuição da circulação das pessoas nas ruas, alguns comércios foram fechados e há dificuldade das pessoas em terem uma ajuda. Eles ficam em uma situação ainda mais vulnerável”, destacou.

De acordo com Eguione, pelo histórico de vida os moradores de rua podem neste momento estar no grupo de risco para a doença. “Muitos são debilitados por problemas respiratórios. Eles tendem a ficar em grupos por uma questão de proteção e muitos deles têm doenças respiratórias”, ponderou.

Além das doações, o grupo também busca colaboradores para a entrega dos produtos e preparação do café para os moradores de rua.

Saiba como ajudar


Assistência às pessoas em situação de rua

O bispo-auxiliar de Curitiba e referencial para a Dimensão Social, Dom Francisco Cota de Oliveira, e a Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de Curitiba emitiram no dia 20 de março um comunicado sobre as estratégias para cuidar da população em situação de rua: nossos irmãos que necessitam da nossa atenção, sobretudo neste contexto de maior vulnerabilidade. Confira aqui.

 

Fonte: Banda B