Visitas missionárias: vamos seguir o exemplo do Papa

ansa1199415_articolo

Edson Soares

As redes sociais destacaram ao final de maio deste ano a emoção das pessoas visitadas pelo Papa Francisco, provavelmente você viu isso em seu celular, computador ou até mesmo ouviu algum comentário. Caso não, por favor, faça uma busca na internet. Aparecerão várias notícias. Olhando esse fato, pergunto: “Seria isso novidade?”

A matéria publicada pelo Vaticano deixa claro que o padre da paróquia tem por costume visitar as casas no tempo pascal, e que já havia comunicado ao condomínio que seria ele o visitador. Receber o próprio Papa Francisco foi um “upgrade” digno de noticiá-lo. Ao pensarmos 2015 como o ano Missionário e a atitude do Papa Francisco em maio deste ano nos deparamos com a certeza de que a Igreja deve colocar-se em chave missionária em especial na dimensão paradigmática, isto é, mudando os hábitos de acordo com a sua realidade paroquial*. E para responder a pergunta do parágrafo anterior, isso não é novidade!

“Depois que os Onze voltam à Galileia e sobem a montanha, eles enxergam o Mestre e se prostram. Jesus então se aproxima (detalhe importante!), diz que já recebeu toda a autoridade e envia seu grupo em missão, mas com uma promessa: “estou sempre junto a vocês!” Mt 28,16-20.

E na sua paróquia? As visitas Missionárias já se tornaram um costume?

Partindo do subsídio “O Itinerário da Paróquia Missionária”** destacamos a seguir quatro pontos que você também pode e/ou deve fazer como missionário em sua paróquia seguindo o exemplo do Bispo de Roma.

– Sensibilização: Bem… se você leu esta matéria até aqui você é uma liderança, e se não participa de nenhum movimento da paróquia até agora entenda: essa é uma oportunidade!

– Planejamento: conhecer a sua região de maneira a saber como realizar as visitas, o número de casas a serem visitadas, enfim todas as informações que você achar relevante.

– Visitas: na prática é fazer como o Papa Francisco. Busque ler a matéria sobre a visita surpresa realizada pelo Santo Padre em 19 de maio deste ano a famílias no litoral romano.

– Pequenas comunidades e grupos de famílias: Esse é o passo seguinte! É unir-se para rezar, celebrar, testemunhar e também para confraternizar.

Enfim respondendo a segunda pergunta, caso na sua paróquia as visitas Missionárias ainda não sejam um costume, o que acha de criarmos esse costume? O Importante é começar afinal sabemos o que queremos conforme a Evangelii Gauduim 49: “Saiamos, saiamos para oferecer a todos a vida de Jesus Cristo!”.

*Consulte o Manual Missionário documento da Arquidiocese de Curitiba.

** Documento lançado pela Arquidiocese de Curitiba em Maio deste ano.